Jaques Wagner fala em mudanças pontuais no governo da Bahia e Zé Neto confirma ingresso

Governador Jaques Wagner fala sobre mudanças no governo, durante abertura dos trabalhos da AL-BA.
Governador Jaques Wagner fala sobre mudanças no governo, durante abertura dos trabalhos da AL-BA.
Governador Jaques Wagner  fala sobre mudanças no governo, durante abertura dos trabalhos da AL-BA.
Governador Jaques Wagner fala sobre mudanças no governo, durante abertura dos trabalhos da AL-BA.

Durante a reabertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa, nessa sexta-feira (15/02/2013), cerimônia que reuniu não apenas o governador Jaques Wagner e deputados, mas também muitos secretários de estado, alguns que, inclusive, estariam na berlinda, o clima era de total cautela quando o assunto era a tão especulada reforma administrativa no governo estadual, cujos prazos dados pelo próprio chefe do Executivo extrapolaram e a previsão agora é uma incógnita.

A única novidade ficou por conta de uma conversa entre o governador e o secretário de Relações Institucionais, Cézar Lisboa, para as próximas horas.

Em conversa com a imprensa, Wagner voltou a reiterar que não irá inventar projetos e sim consolidar os que estão em curso. Conforme ele, mudanças pontuais poderão acontecer a qualquer momento caso seja necessário. “Mas eu diria que minha equipe está montada e não há ajuste premeditado, marcado, com data”, fez questão de frisar.

Com o discurso bastante afinado com o de seu líder, o titular da Serin, Cézar Lisboa, que estaria cotado para migrar para a Sedes, dando espaço para o líder do governo na AL, deputado Zé Neto, afirmou não ter conhecimento de nenhuma novidade sobre o assunto.

“Não existem novidades. Todas as conversas que tivemos foram para preparação de alguns cenários possíveis, mas é o que estou falando, qualquer que seja a decisão, virá do governador Jaques Wagner. Nas próximas horas terei uma conversa com ele para falar sobre o assunto, mas volto a repetir que é algo que depende dele. Nós estamos realmente sem uma data marcada”, pontuou.

Saindo pela tangente, o secretário da Casa Civil, que vale lembrar é braço direito de Wagner, disse não se tratar se um assunto da sua alçada. “Bom, quem trata disso não sou eu, mas sim o secretário Cézar Lisboa, e eu não tratei com ele dessas questões por respeitar os papéis dentro de governo”, esquivou-se.

Destoando dos colegas, o deputado Zé Neto foi o único a não descartar que possibilidade de integrar um quadro no governo não está descartada, apesar da demora do anúncio.

“Na verdade não posso descartar uma situação como essa que não seria de bom tom, mas posso dizer com tranquilidade que estou como líder do governo e estou muito tranqüilo com meu papel aqui na Casa. Entretanto, é obvio que sou um soldado do governador que já colocou que fará mudanças pontuais, mas precisa apenas azeitar alguns pontos. Se houver mudanças na Serin, um dos nomes ventilados é o meu, mas cabe a ele que é o técnico e que esta vendo o jogo de cima do tabuleiro definir”.

O deputado federal Afonso Florence, por sua vez, que também teve o nome ventilado para voltar a compor o time de Wagner, negou que tenha sido convidado, porém destacou que embora tenha como plano cumprir seu mandato na Câmara Federal, o convite de Wagner a qualquer um seria uma convocação.

Pré-candidatos ao governo

Aparecem como pré-candidato ao governo da Bahia os secretários José Sérgio Gabrielli (Seplan) e Rui Costa (Casa Civil), ambos do PT; o vice-governador Otto Alencar, presidente estadual do PSD e o presidente da AL, Marcelo Nilo (PDT).

Com informações do Jornal Tribuna da Bahia | Por Fernanda Chagas.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9294 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).