Governo da Bahia tenta camuflar privatização do hospital Clériston Andrade com uso do termo publicização, acusa deputado Carlos Geilson

Vista aérea do Hospital Geral Clériston Andrade. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia
Vista aérea do Hospital Geral Clériston Andrade. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia

“O governo do Estado está tentando camuflar a privatização do Hospital Geral Clériston Andrade com o uso do termo publicização”. A afirmação foi feita pelo deputado estadual Carlos Geilson (PTN) em pronunciamento na Assembleia Legislativa da Bahia, nesta terça-feira (26/02/2013). O parlamentar destacou que o sucateamento da unidade médica é uma forma encontrada pelo governo para “justificar” a transferência da administração pública para a privada.

“Equipamentos de última geração, que valem uma fortuna, estão amontoados no Clériston Andrade, sem utilização. O secretário de Saúde Jorge Sola visitou o equipamento e constatou que 50% dos médicos não comparecem ao plantão. Sabe qual foi a medida adotada? Nenhuma! Porque essa privatização é de interesse do Estado. Mas agora chamam publicização para disfarçar. É assim que o líder do governo, deputado José Neto (PT), está tratando o assunto. Se a privatização é boa, por que não começou pelo Hospital Geral do Estado ou Roberto Santos?”, questionou.

Geilson criticou ainda a intenção da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia de pedir ao Ministério da Saúde a prorrogação de vigência do convênio de R$ 19,3 milhões. A verba será investida nos hospitais Clériston Andrade (Feira), Luiz Viana Filho (Ilhéus) e Geral de Vitória da Conquista. “Se governo vai privatizar o Clériston, por que vai colocar dinheiro público?”, assinalou.

Vista aérea do Hospital Geral Clériston Andrade. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia
Vista aérea do Hospital Geral Clériston Andrade. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia

 

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9377 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).