Deputado Luciano Simões fala de promessas não cumpridas do governo Jaques Wagner

Jaques Wagner, promessas não cumpridas. (Foto: Carlos Augusto – Jornal Grande Bahia)
Jaques Wagner, promessas não cumpridas. (Foto: Carlos Augusto – Jornal Grande Bahia)
Jaques Wagner, promessas não cumpridas. (Foto: Carlos Augusto – Jornal Grande Bahia)
Jaques Wagner, promessas não cumpridas. (Foto: Carlos Augusto – Jornal Grande Bahia)

Nesta terça-feira (26/02/2013), o deputado estadual, líder do bloco parlamentar PMDB/DEM na Assembleia Legislativa, Luciano Simões,concedeu entrevista ao radialista Iasen Cerqueira, no Programa Baiana em Debate da Radio Baiana FM, 89.3.

Perguntado sobre o metro de Salvador e a ponte Salvador/Itaparica, o deputado afirma que não acredita que as obras serão realizadas dentro do prazo estipulado pelo governo do estado. “Quando tomou posse, o governador do Estado prometeu que o metrô ia sair do papel e que também a ponte Salvador/Itaparica seria finalizada, mas o que ocorre é que estes projetos estão sendo sempre adiados. Então, creio que o governador está indo por um caminho de engodo com a população baiana”, afirmou.

O deputado também protesta contra a atitude do governador que inagura obras em que não houve nenhum investimento do governo estadual. “A população precisa de projetos que sejam realmente realizados, que estejam dentro da condição do governo, inclusive de captação de recursos.”

Para Simões, são 8 anos com as mesmas promessas, o mesmo discurso e nenhuma realização. “Não quero ser pessimista, mas não acredito que venha ter até a Copa do mundo obras dessa natureza sequer iniciadas na Bahia”, declarou.

De acordo com líder do bloco parlamentar PMDB/DEM, diante do quadro de falta de ações efetivas do governo do estado, os planos do PT para 2014 já estão sendo prejudicados. Para ele “com ACM NETO o povo deu a resposta: não aprovam o governo Wagner. A mesma resposta o povo vai dar em 2014, elegendo um candidato da oposição ao governo da Bahia. É isso que está se delineando. O que é incompetência do PT na gestão estadual tem sido de uma clareza de doer os olhos, então o povo não vai suportar esse tipo de situação”, afirmou Simões.

Segundo o deputado, o governo do Estado investe R$ 150 milhões de reais por ano em propaganda, dinheiro que deveria ser investido em segurança pública, em melhoria do salário dos policiais civil e militar, com gratificações e pagamento em dia. Ainda de acordo com Simões, o que falta na Bahia não é recurso para minimizar as questões da violência e educação no Estado “É falta de gestão e incompetência. É preguiça, é marasmo. A Bahia teve a maior greve da historia do Brasil. É a gestão da Bahia que foi reprovada agora em Salvador e vai ser reprovada pelo povo da Bahia porque não tem mais com quem apelar. O Governador se diz amigo de Dilma e amigo de Lula e as coisas não acontecem”.

Sobre Carlos Augusto 9404 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).