O Carma – Lei da Causa e do Efeito

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Juarez Duarte Bomfim.
Juarez Duarte Bomfim.

A Lei do Carma – Lei da Causa e do Efeito – é uma das verdades mais antigas que se conhece, e foi revelada a humanidade por grandes mestres que por aqui passaram ao longo da história.

Buda e Krishna, Lao Tsé e Confúcio, Platão e Sócrates, Allan Kardec – e mesmo Jesus Cristo a predicou em muitos ensinos.

No Evangelho de Mateus, capítulo XVII, Jesus admite a seus discípulos que João Batista era a reencarnação do profeta Elias (e Paramahansa Yogananda nos demonstra que sua morte por decapitação, a mando de Herodes, era o cumprimento da lei cármica).

Em poucas palavras, o Carma é a Lei da Causa e do Efeito. Está diretamente relacionada a duas outras leis: da Evolução e da Reencarnação.

Antes, vejamos uma coisa: se eu te pergunto quem és, que resposta me dás?

– Sou tal pessoa, vivo em tal lugar, tenho tal nível educacional ou econômico, tenho filho, família, amigos etc…

Mas esta resposta não responde à pergunta inicial.

Em todos os idiomas conhecidos, quando se fala do EU a pessoa se coloca fora do corpo, da mente, do espírito. Observe, por exemplo, como dizemos em português: EU tenho um corpo; EU tenho uma alma; EU tenho um espírito, uma mente etc.

No nosso falar diferenciamos o corpo, a mente, o espírito, e todos os seus atributos do verdadeiro EU, a verdadeira Essência Íntima, o Ser Interior, o que verdadeiramente somos e que se manifesta através do corpo, dos sentidos, da mente etc…

Esse EU é uma energia vital, única, unida a todo o universo porque tudo o que existe está relacionado entre si. Esse EU pertence ao Universo Cósmico da mesma maneira que uma gota de água pertence ao oceano. Esse EU está formado por vibrações, e tudo o que fazemos em nosso viver diário é submergirmos nesse universo de vibrações.

Por exemplo: comemos, e depois da digestão os alimentos se convertem em moléculas de proteínas, ou de carboidratos, ou gorduras, ou vitaminas, que por sua vez se convertem em átomos que estão girando, vibrando, nos dando energia, repondo nosso desgaste.

Quando respiramos estamos recebendo a energia que nos pulmões se leva ao sangue e nos dá vida… e tudo ao nosso redor está emitindo vibrações. Como diz a lei da termodinâmica: nada se cria nem é destruído, tudo se transforma!

Vemos também que ao morrer o corpo físico o nosso EU Superior, esse Eu que é eterno, infinito e indestrutível, se integra a seu campo vibracional correspondente.

Essa energia que agora vibra em seu corpo procede também de outros corpos em que se manifestou, para aprender, para conhecer, para viver e desfrutar.

No transcurso de nossas vidas fazemos coisas boas e coisas más. Agora… que é o bem e o mal? Se nos fixarmos nas leis dos países nos equivocaremos, porque o que é bom para alguns pode ser mau para outros, e assim tem sido em toda história da humanidade.

Sem embargo, o conhecimento superior nos ensina que bom é tudo aquilo que nos ajuda a avançar espiritualmente, a evoluir positivamente, a ascender na escala da evolução e ser a cada dia melhores seres humanos, a conseguir com nossas ações, pensamentos e vida subir um degrau a mais até alcançar a perfeição e a união com o Absoluto de onde procedemos.

Mal é aquilo que nos retarda a evolução, que nos estanca, que nos prejudica e prejudica aos demais, inclusive prejudica ao ambiente, aos animais, às plantas e a tudo o que entramos em contato.

A medida que vamos aprendendo e avançando espiritualmente, nos certificamos dessa grande verdade e entendemos que cada pessoa – na atual encarnação – está vivendo tudo aquilo de bom que tenha acumulado em seu carma, ou seja, ao longo de sua vida atual e de vidas passadas. Mas também vimos ao mundo para pagar o débito de más ações realizadas no passado – aquelas ações que nesta ou em outras vidas hajam prejudicado nossa própria evolução ou a dos demais.

O “mau carma” não se trata de um castigo de Deus nem de nada injusto, e sim simplesmente o efeito de uma causa: por exemplo, se uma pessoa se lança de um décimo andar de um edifício, o mais provável é que quando caia ao solo morra… a morte não é nenhum castigo, e sim a conseqüência de seus atos, é o efeito de uma causa; se uma pessoa come demasiadamente à noite e logo tem indigestão e dores de estômago, não é castigo de ninguém, é o efeito de uma causa.

Há pessoas sumamente avarentas, egoístas, que necessitam sempre de dinheiro e mais dinheiro, inclusive são capazes de matar para obtê-lo; se perdem o seu dinheiro são capazes de suicidar-se. Poderíamos dizer que estes são “pobres ricos”. Pessoas que estão pagando um carma, pois mesmo que tenham dinheiro não são felizes. Há outros que têm dinheiro e são felizes, outros que não o tem e são felizes, ou infelizes – conforme o caso.

Quando entendemos tudo isso, não julgamos a ninguém, porque nos damos conta que cada qual passa por situações segundo o seu merecimento e a sua escala de evolução.

O bom Carma não consiste em não ter dificuldades, e sim em ter a atitude mental e espiritual adequada para entender o que está ocorrendo e poder tirar o melhor partido daquela situação.

Por exemplo, se alguém lhe fere e você é uma pessoa evoluída espiritualmente, tenha compaixão daquele ser, lembre que boas pessoas nunca tratam de ferir aos outros, e se alguém o está fazendo é porque não são muito evoluídas, e isto é triste e merece sua compaixão.

Quando falamos que estamos “queimando o carma”, o que queremos dizer é que nesta encarnação ocorrem determinados momentos difíceis que são oportunidades de quitarmos a dívida que temos com nós mesmos ou com outros. Estamos pagando os nossos débitos – o “carma negativo”.

É bom lembrar que a todo momento recebemos “carma positivo”, e lamentavelmente muitas pessoas não o sabe aproveitar, achando que a vida lhes maltrata, quando o certo é que constantemente estão sendo presenteadas com saúde, vitalidade, esperança, amigos e familiares. Presenteadas com olhos para ver a beleza da Criação, ouvidos para ouvir as belas mensagens, um corpo para gozar de intimidade com a pessoa amada.

A Lei do Carma é a Lei da Justiça Divina, e demonstra o Infinito Amor de Deus por seus filhos. É a oportunidade que é concedida por Deus de outra encarnação. Porque se tivéssemos apenas uma oportunidade no meio de toda Eternidade, certamente que, com toda nossa ignorância e torpeza perderíamos a chance de ascender a metas superiores.

Fonte: El Karma. Disponível em .

Sobre Juarez Duarte Bomfim 745 Artigos
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]