Empresários chineses virão à Bahia consolidar investimentos

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Edmundo Filho entrevista o governador Jaques Wagner sobre ações governamentais. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Edmundo Filho entrevista o governador Jaques Wagner sobre ações governamentais. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Edmundo Filho entrevista o governador Jaques Wagner sobre ações governamentais. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Edmundo Filho entrevista o governador Jaques Wagner sobre ações governamentais. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

No programa Conversa com o Governador desta semana, gravado no aeroporto de Pequim, na China, o governador Jaques Wagner anunciou a vinda de empresários chineses à Bahia, no início de março, para consolidar os investimentos no estado, negociados durante a viagem. “Eu percebi que há um grande interesse dos chineses de investir no Brasil. Sobre as duas missões centrais, a PetroChina e a Foton, eu digo que saímos daqui com elas consolidadas, além de todos os outros contatos que fizemos”, afirma o governador.

“A própria embaixada disse que poucas vezes viu uma missão brasileira com tanta intensidade de encontros e contatos de trabalho”, diz Wagner. Para ele, o interesse e as constantes negociações colocam a Bahia numa posição de destaque perante o mundo empresarial chinês. “A China é a segunda maior economia do mundo e entendeu que não pode só exportar. É preciso levar empresas para fora da China e eu creio que a gente só tem a ganhar com essa relação que estamos desenvolvendo desde o começo do governo”.

Segundo o governador, a implantação da JAC Motors é um exemplo deste esforço baiano, assim como o investimento chinês no segmento da soja, no oeste do estado. “A Foton e a Bonco Bras são mais dois investimentos consolidados”, ressalta. A Bonco é uma subsidiária da PetroChina, uma das duas maiores petroleiras chinesas, e produz ferramentas para exploração de petróleo em terra e em mar. “Eles estão decididos a se instalar na Bahia. Já separamos um terreno. Precisam acabar de desenvolver o projeto e depois começar a construção da unidade fabril na região de Camaçari/Dias D’Ávila. Então, essa foi uma conquista importante”.

O programa desta semana traz informações sobre outras empresas que manifestaram interesse de investir no estado. “Tivemos encontro também com uma mineradora interessada em investir, esse foi um contato inicial. Uma petroquímica está interessada em vir para o Brasil e para a Bahia, e foi outro contato inicial. Fizemos contato com a Beiqi, uma empresa automobilística da capital, Pequim, fundada em 2010, mas já com uma perspectiva de se transformar na maior produtora de automóveis daqui. Eles têm planos para 2015 se instalarem no Brasil e nós colocamos a Bahia na dianteira desse processo”, afirma o governador.

Wagner diz que o polo automotivo baiano está se consolidando. “Tem a Foton, que vai instalar na Bahia uma montadora do ônibus e de caminhões e, possivelmente, mais tarde, de automóveis. Já temos a JAC Motors, a Ford, há mais tempo. Portanto, esse é um passo extremamente importante para a geração de emprego e desenvolvimento do nosso estado”.

O governador informa que se reuniu com representantes de empresas que já estão em atividade no estado. “Tive uma conversa com o pessoal de Chongqing, que está investindo em uma processadora de soja na região de Barreiras. De Chongqing, que é uma cidade extremamente importante aqui da China, conquistamos um novo investimento na área de fibra de vidro e fibra de carbono. Tivemos um encontro com o ministro responsável pela Agência de Desenvolvimento da China e marcamos vários contatos, inclusive visita da equipe dele à Bahia”.

Outro contato, segundo Wagner, foi com a maior produtora de placas de energia solar do mundo, que também é da China. De acordo com o governador, há a possibilidade deles se instalarem na Bahia. “Tivemos um encontro com Exim Bank, o banco que alavanca as indústrias chinesas que se instalam fora do país. Eu espero, a partir daí, ampliar o volume de investimentos chineses, gerando mais emprego e mais benefício para a Bahia e para os baianos”.

Sobre Carlos Augusto 9648 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).