Empresa canadense de exploração mineral vai realizar pesquisa na Bahia

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Pacific Imperial do Brasil Ltda.
Pacific Imperial do Brasil Ltda.

A Pacific Imperial do Brasil Ltda, empresa júnior de exploração mineral canadense, assinou um contrato com a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) para a realização de trabalhos de pesquisa de minérios de níquel, cobre e ferro-titânio-vanádio, em áreas pertencentes à companhia, situadas na região do município de Marcionílio Souza.

O termo foi assinado na semana passada pelo diretor-presidente da CBPM, Alexandre Brust, o diretor técnico, Rafael Avena Neto, e o diretor-presidente da Pacific, Licurgo Azevedo de Albuquerque. O contrato entre a companhia e a vencedora da licitação engloba uma área de 10.098,51 hectares nos municípios de Marcionílio Souza, Itaetê e Iaçu.

Os trabalhos de pesquisa serão executados sob a responsabilidade técnica, gerencial e financeira da empresa Pacific, que providenciará recursos necessários para cobrir a totalidade dos custos, prevendo-se um investimento mínimo inicial da ordem de R$ 1 milhão para um programa de pesquisa de dois anos.

As sete áreas, que têm direitos minerários pertencem à CBPM, em que a Pacific executará os trabalhos de pesquisa, já dispõem de dados e informações geológicas, incluindo dados de levantamentos aerogeofísicos desenvolvidos pela CBPM, o que minimiza os riscos, custos e o longo tempo necessário à descoberta, estudo e legalização de áreas de pesquisa que se enquadrem aos seus objetivos empresariais.

Prêmio

Trata-se de prospectos favoráveis para mineralizações de cromo, níquel, cobalto, ouro, ferro-titânio-vanádio e metais base, com presença marcante de formações ferríferas bandadas, com valores de ferro em rocha da ordem de 45%.

Pelo arrendamento dos direitos minerários das jazidas, a empresa pagará à CBPM royalties no valor equivalente a 3% da receita bruta de vendas dos minérios beneficiados e extraídos dessas áreas e R$ 500 mil por Portaria de Lavra como Prêmio de Oportunidade.

Sobre Carlos Augusto 9611 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).