Vereadores de Salvador assinam documento pela rejeição das contas de João Henrique Carneiro

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
TCM mantém rejeição das contas 2009 do prefeito de Salvador, João Henrique de Barradas Carneiro. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
TCM mantém rejeição das contas 2009 do prefeito de Salvador, João Henrique de Barradas Carneiro. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
TCM mantém rejeição das contas 2009 do prefeito de Salvador, João Henrique de Barradas Carneiro. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
TCM rejeitas contas 2009 e 2010 do prefeito de Salvador, João Henrique de Barradas Carneiro.

Vereadores emitem carta onde argumentam o posicionamento pela rejeição das contas da administração do prefeito de Salvador, João Henrique de Barradas Carneiro, acusando o gestor de graves irregularidades.

Confira o teor da carta

Os vereadores de Salvador signatários desta vêm a público colocar o seu posicionamento pela rejeição das contas do prefeito João Henrique relativas aos anos de 2009 e 2010. Consideramos que cabe a nós, atuais vereadores, a apreciação do parecer do Tribunal de Contas do Município, pois fomos eleitos junto com o atual prefeito, aprovamos e acompanhamos a execução dos orçamentos públicos desse período. Portanto, os atuais vereadores não podem deixar de cumprir o seu dever constitucional de fiscalizar o executivo.

Assim como fez, por unanimidade, o Tribunal de Contas do Município e a Comissão de Finanças da Câmara Municipal de Salvador, a nossa posição é pela reprovação das contas do prefeito.

João Henrique cometeu irregularidades e ilegalidades nas gestões de 2009 e 2010, já destacadas pelos técnicos do TCM. São elas: não aplicação do percentual mínimo de recursos para a Saúde (15%) e Educação (25%); contratos com dispensa de licitação; servidores contratados sem concurso público; atrasos de pagamentos de despesas do município, resultando em despesas na ordem de R$ 2 122.928,67; superfaturamento de contratos; descumprimento do limite mínimo de repasse de verbas para o Legislativo; manutenção de contratos ilegais; superendividamento da prefeitura (em 2009 a dívida pública era de R$400 milhões, passando para R$800 milhões em 2010); abertura de créditos adicionais sem a autorização do Legislativo e comprovação da existência de recursos disponíveis; descumprimento de obrigações tributárias relativas ao recolhimento de INSS de serviços pagos pela prefeitura; elevado comprometimento orçamentário com o reconhecimento de despesas de exercícios anteriores, entre outras.

Reprovando as contas do prefeito João Henrique a Câmara estará dando uma demonstração de cumprimento do seu papel de poder fiscalizador e de defesa do interesse público. Será uma advertência para que os futuros gestores não cometam ilegalidades e irregularidades semelhantes na gestão da cidade.

Assinam:

Vânia Galvão – Líder da Oposição

Henrique Carballal – Líder do PT

Aladilce Souza – Líder do PCdoB

Olívia Santana – Vice-líder da oposição

Gilmar Santiago – PT

Marta Rodrigues – PT

Moisés Rocha – PT

Dr. Giovanni – PT

Alcindo Anunciação – PT

Sandoval – PMDB

Paulo Magalhães – PSC

Andréa Mendonça – PV

Paulo Câmara – PSDB

Sobre Carlos Augusto 9669 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).