Site que estimula infidelidade já tem 1 milhão de brasileiros

O site para encontros extraconjugais Ashley Madison teve um crescimento acima da expectativa no Brasil em 2012.

O site para encontros extraconjugais Ashley Madison teve um crescimento acima da expectativa no Brasil em 2012.

O site para encontros extraconjugais Ashley Madison teve um crescimento acima da expectativa no Brasil em 2012. De acordo com dados divulgados pela empresa, já são mais de um milhão de brasileiros cadastrados, número que surpreendeu as expectativas da companhia que previa terminar o ano com 800 mil.

Presente em 24 países, o site foi criado há mais de 10 anos e hoje conta com 17 milhões de cadastros em todo o mundo. “O povo brasileiro tem uma tendência ao prazer, ao sexo e à diversão”, destaca Eduardo Borges, responsável pelo site no Brasil.

Um amante ou seu dinheiro de volta 

“O Brasil é a menina dos olhos da Ashley Madison, é o país com o maior crescimento”, completa. Um dos destaques do site é o programa “amante garantido”, que garante que cada pessoa registrada consiga uma aventura. Em caso de insatisfação, o dinheiro é devolvido. “Até agora, nenhum dos usuários pediu o dinheiro de volta”, afirma Borges.

Os responsáveis pelo site defendem que a infidelidade é a receita perfeita para salvar um casamento desgastado. “Se falta algo em seu casamento, mas você não quer se divorciar, no site você vai encontrar o que busca. Não criamos a traição, apenas a aperfeiçoamos”, finaliza Borges.

*Fonte: TECMUNDO E AP.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).