O ciclo vicioso da aprendizagem | Por Janguiê Diniz

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Janguiê Diniz é Mestre e Doutor em Direito; e Fundador e Acionista Majoritário do Grupo Ser Educacional .
Janguiê Diniz é Mestre e Doutor em Direito; e Fundador e Acionista Majoritário do Grupo Ser Educacional .
Janguiê Diniz é Mestre e Doutor em Direito; e Fundador e Acionista Majoritário do Grupo Ser Educacional .
Janguiê Diniz é Mestre e Doutor em Direito; e Fundador e Acionista Majoritário do Grupo Ser Educacional .

Quando perguntamos o quanto vale a educação e o que ela pode fazer para mudar nossas vidas, a resposta é simples. A educação é a base de tudo e o aprendizado deve ser infindável. O aprendizado destina você ao crescimento, a progredir pessoal e profissionalmente. Claro que ninguém nega o valor da educação e o quanto um bom professor é imprescindível.

Em definição, o chamado círculo vicioso é uma sucessão, geralmente ininterrupta e infinita, de acontecimentos e consequências que sempre resultam numa situação. Essa definição se encaixa quando falamos do ciclo vicioso da aprendizagem. Devemos sempre buscar o aprendizado e para que isso aconteça, não basta procurar somente o desenvolvimento técnico e profissional, esquecendo que o nosso lado pessoal possui total influência em nossos atos.

Quantas pessoas conhecemos que estão hoje no mesmo lugar em que estavam há cinco anos? Que estão estacionadas na vida, sem perspectiva de promoções nos empregos ou que não pensam em mudar de vida? Inúmeras. Provavelmente porque essas pessoas não valorizam o aprendizado e nem se interessam pelo enriquecimento do conhecimento.

Qualquer um que busque o aprendizado constante e que continue aprendendo, não apenas permanece jovem – aqui falamos de jovem relacionando a evolução tecnológica – à medida que atualiza seus conhecimentos, como também se torna cada vez mais valioso, independente de sua capacidade física. Em contrapartida, aqueles que não buscam esse conhecimento constante, tornam-se obsoletos em relação à modernização da sociedade.

O desenvolvimento técnico e pessoal deve ser uma constante. São essas duas evoluções que, se alinhadas, nos levarão ao sucesso. Em uma faculdade, por exemplo, é possível buscar conhecimentos técnicos através do curso, livros, palestras, seminários. Contudo, também é possível adquirir desenvolvimento pessoal quando se coloca em exercício a habilidade em lidar com pessoas, em usar melhor suas emoções.

A maior parte das pessoas passa a vida inteira na busca do desenvolvimento técnico e deixa de se preocupar com o desenvolvimento pessoal. Não basta estudar nos melhores colégios, fazer especializações, dominar magnificamente um determinado assunto. Dessa forma, apenas o conhecimento técnico será exercitado e isto não é suficiente para o contexto atual da nossa sociedade. Novas descobertas acontecem a cada minuto. O mundo muda constantemente e se você não muda com ele, em pouco tempo será substituído. Devemos estar sempre prontos e abertos para aprender. Aprender com tudo e com todos. Não deve-se acreditar que a educação é cara e difícil. Educação e aprendizado são essenciais. Mais caro é o preço a ser pago pela ignorância de se negar a aprender o tempo todo.

*Janguiê Diniz – Mestre e Doutor em Direito – Fundador e Acionista Majoritário do Grupo Ser Educacional.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113711 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]