“Nos tornamos homens fardados mais humanos”, diz PM sobre Programa da ONU em Lauro de Freitas

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
José Carlos Arruti saúda PMs na entrega de Certificados dos Cursos realizados pela ONU em 2012.
José Carlos Arruti saúda PMs na entrega de Certificados dos Cursos realizados pela ONU em 2012.
José Carlos Arruti saúda PMs na entrega de Certificados dos Cursos realizados pela ONU em 2012.
José Carlos Arruti saúda PMs na entrega de Certificados dos Cursos realizados pela ONU em 2012.

“Com esse curso, nós aprendemos a ouvir mais e falar menos, a falar de forma precisa, ao invés de chegar na comunidade e dizer como as pessoas devem agir. E isso não nos tornou um outro policial, no que se refere à forma técnica de ser policial, mas nos tornou homens fardados mais humanos”. Foi com estas palavras que o soldado Raianderson Neri agradeceu, em nome dos 80 policiais militares da Base Comunitária de Segurança de Itinga, a oportunidade de participar do curso “Reflexões sobre segurança pública e policiamento comunitário”.

Promovido pela ONU-Habitat, em parceria com o Instituto dos Estudos da Religião (ISER), o curso integra as ações do Programa Conjunto da ONU “Segurança com Cidadania” em Lauro de Freitas. A cerimônia de entrega dos certificados aos policiais, no auditório do Colégio Mendel, em Vilas do Atlântico, foi conduzida pelo coordenador do Gabinete de Gestão Integrada Municipal e Ponto Focal do Programa, José Carlos Arruti. O Programa Conjunto da ONU é realizado em parceria com a Prefeitura de Lauro de Freitas e Ministério da Justiça.

Presente no evento, a Oficial de Programas do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Érica Mássimo Machado, destacou que a relação entre a polícia e a comunidade de Itinga é algo que surpreende desde a primeira etapa do Programa Conjunto, em 2011, quando foi realizado o Diagnóstico Participativo e Situacional. “Acreditamos que essa relação é a base necessária para que possamos ter uma segurança realmente cidadã”, disse a representante da ONU. Suas palavras encontraram eco no depoimento emocionado da coordenadora pedagógica da Escola Municipal Solange Coelho que também participou do curso e fez um apelo aos policiais: “Por favor, não saiam de perto de nós. É muito importante que vocês dialoguem com nossos adolescentes”.

A importância do diálogo foi destaque, também, da fala do major José Izidro que ressaltou a importância, inclusive, da troca de informações entre as diferentes patentes dentro da própria Polícia e destacou o importante papel desempenhado pelas policiais femininas na relação com a comunidade. Para o tenente Marcos Carrilho, comandante da Base, capacitações como as que foram realizadas pelo Programa Conjunto, estimulam os policiais a buscarem outros caminhos para se instruírem e qualificarem o seu trabalho. “Não podemos esquecer que o caminho certo é o caminho da retidão”, reforçou o tenente.

A capacitação – Com o objetivo de debater sobre a relação entre a polícia e a comunidade de forma vivencial e participativa, a primeira edição da Oficina Reflexões Sobre Policiamento Comunitário ocorreu em agosto e reuniu cerca de 80 participantes, entre policiais militares, civis, bombeiros, guardas municipais, lideranças religiosas e representantes da sociedade civil organizada. A segunda edição do curso partiu da demanda dos próprios policiais de Lauro de Freitas e foi realizada no mês de novembro. A capacitação reuniu em torno de 50 policiais militares, das Bases Comunitárias de Itinga, Calabar, Rio Sena, Nordeste de Amaralina e Fazenda Coutos. A facilitação das oficinas foi dividida entre pesquisadores do ISER e policiais civis da articulação carioca Papo de Responsa.

O Programa Conjunto

Experiência piloto, o Programa Conjunto da ONU “Segurança com Cidadania: prevenindo a violência e fortalecendo a cidadania com foco em crianças, adolescentes e jovens em condições vulneráveis em comunidades brasileiras” está sendo implementado nos municípios de Lauro de Freitas (BA), Contagem (MG) e Vitória (ES). Por meio do estímulo ao cumprimento voluntário de regras, da autorregulação do comportamento e da promoção de mecanismos de controle social, o Programa Conjunto busca prevenir as diversas formas de violência que afetam a população de 10 a 24 anos em situação de vulnerabilidade.

Financiado pelo Fundo para o Alcance dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, o Programa Segurança com Cidadania é composto por seis agências do Sistema ONU: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), Organização Internacional do Trabalho (OIT), Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-HABITAT) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Sobre Carlos Augusto 9668 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).