Ex-presidente Fernando Henrique reage a declarações de Gilberto Carvalho

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
O ex-senador Tasso Jereissati (CE), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra.
O ex-senador Tasso Jereissati (CE), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra.
O ex-senador Tasso Jereissati (CE), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra.
O ex-senador Tasso Jereissati (CE), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso reagiu hoje (03/12/2012) com veemência às declarações do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, de que antes do governo do ex-presidente Lula, a Polícia Federal não tinha independência. Carvalho disse, ainda, que nos governos anteriores ao de Lula “havia o ‘engavetador-geral’ da República”, após um evento em Brasília.

“Eu tenho 81 anos mas tenho memória. Esse senhor precisava pelo menos respeitar o passado, até o dele, e não continuar dizendo coisas levianas. Estou cansado de ouvir leviandades de quem está no governo e aproveita para lançar pedra no passado”, rebateu Fernando Henrique que participa de um evento de prefeitos do PSDB, em Brasília.

O ex-presidente acrescentou que a “herança maldita” foi recebida pela presidenta Dilma Rousseff. Segundo ele, o atual governo leva mais tempo “para corrigir malfeitos” que teria herdado do governo Lula.

Fernando Henrique disse ainda que, quando assumiu o governo em 1994, encontrou a Polícia Federal brigando, dividida e com a escola de treinamento desativada. Ele acrescentou que coube ao seu então ministro da Justiça, Nelson Jobim, a tarefa de reestruturar a Polícia Federal.

Quanto à independência do órgão, Fernando Henrique lembrou que várias autoridades ficaram irritadas pelas ações desenvolvidas pela Polícia Federal, durante seu governo. “Tanto era independente que houve senadores algemados e governadora de estado irritada porque seu gabinete tinha sido invadido, pois havia dinheiro e não se sabia de onde vinha”.

Leia + 

Secretaria-Geral da Presidência diz que Ministério Público e PF nunca tiveram tanta autonomia

Sobre Carlos Augusto 9657 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).