A arte de Lina Bo Bardi na Bahia: Todo artista é um clone de Deus, diz Frei Betto

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Achillina Bo Bardi (Lina Bo Bardi) (Roma, 5 de dezembro de 1914 — São Paulo, 20 de março de 1992) foi uma arquiteta modernista ítalo-brasileira. É conhecida por ter projetado o Museu de Arte de São Paulo (MASP) e foi casada com o crítico de arte Pietro Maria Bardi.
Achillina Bo Bardi (Lina Bo Bardi) (Roma, 5 de dezembro de 1914 — São Paulo, 20 de março de 1992) foi uma arquiteta modernista ítalo-brasileira. É conhecida por ter projetado o Museu de Arte de São Paulo (MASP) e foi casada com o crítico de arte Pietro Maria Bardi.

“Todo artista é um clone de Deus. Lina trazia em si essa fagulha divina que faz da criatura, criador, e transforma a arte na única linguagem capaz de superar os limites do tempo e do espaço.” Com essas palavras, o escritor mineiro detentor de uma dezena de prêmios – entre os quais Jabuti e Juca Patto – Frei Betto, tenta sintetizar o poder criativo e realizador da arquiteta italiana naturalizada brasileira, Lina Bo Bardi (1914–1992).

Nem todos sabem, mas não foi somente em São Paulo – cidade escolhida para sua residência – onde Lina criou projetos arquitetônicos memoráveis, como o Museu de Arte de São Paulo (MASP) e o SESC-Pompéia. Em Salvador existem heranças de Lina, como o sensível e criativo projeto da Ladeira da Misericórdia, o Teatro Gregório de Mattos e a bela Casa do Benin, todos na área do Centro Histórico de Salvador chancelada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

“O projeto de restauração do Solar do Unhão, próximo da Avenida Contorno, é igualmente de Lina”, explica o arquiteto e diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), Frederico Mendonça. Autarquia vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (Secult), o IPAC é responsável pela administração do Solar onde funciona o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM/BA).

EXPOSIÇÃO 

A restauração do antigo engenho, originário do século XVII em estilo de quinta portuguesa construído às margens da Baía de Todos os Santos, foi feita por Lina na década de 1960. E é neste complexo arquitetônico que será aberta nesta sexta-feira (30), às 18 horas, a exposição ‘Mostra de Maquetes Oficina Lina Bo Bardi’, como mais uma oportunidade de conhecer o universo dessa arquiteta.

Resultado da ‘Oficina de Capacitação em Maquetes’ ministrada pela doutora em Arquitetura pela Universitat Politècnica de Catalunya (2011) e especialista na obra de Lina, Carla Zollinger, entre março e maio deste ano (2012) no MAM/BA, a exposição mostra parte do projeto original que Lina Bo pensou para essa construção secular.

PATRIMÔNIO CULTURAL

“O Unhão é Patrimônio Cultural do Brasil pelo Ministério da Cultura/Iphan desde 1943 e nada mais oportuno do que refletir sobre a importância desse monumento na proximidade dos seus 70 anos de tombamento, que se comemora em 2013”, diz Mendonça. Para ele, além do rico acervo fixo de arte contemporânea e as exposições inovadoras da programação do MAM/BA, o local deve ser visitado ainda para se apreciar a arquitetura barroca e a restauração de Lina.

“A intenção de Lina, responsável pela restauração do Solar e primeira diretora desse museu, era a criação de um espaço que oferecesse as condições adequadas para a exposição e apreciação da produção artística local, nacional e internacional, e ainda como local para a formação, sobretudo para o público infanto-juvenil, por isso proporcionamos oficinas como esta”, completa a atual diretora do MAM/BA, Stella Carrozzo.

Na mostra serão apresentadas uma grande maquete do projeto de recuperação do Solar do Unhão, na escala de 1:100, e quatro maquetes de estudo – todas na escala de 1:500. Segundo a arquiteta Carla Zollinger, as maquetes menores foram um meio de estudar o Conjunto do Unhão no seu entorno. “Destacamos a relação da construção com o mar e com a encosta, importantes na proposta de concebida por Lina”, explica Zollinger. A relação do Unhão com a Avenida de Contorno, as volumetrias relacionadas à paisagem construída e natural, são outros destaques da mostra. “Temos ainda dois grandes painéis e um vídeo, com processo de construção da maquete e reconstrução dos desenhos de Lina, respectivamente”, finaliza a especialista.

Em uma maquete são retratados o Casarão – inclusive a escultórica escada helicoidal projetada por Lina, com encaixes feitos por meio de um sistema de travamento utilizado nos carros de boi –, o Galpão das Oficinas, que oferecem há 32 anos cursos gratuitos de técnicas artísticas tradicionais, a Capela, que atualmente funciona como espaço expositivo, e o Pátio Unhão, localizado no antigo Cais. Completam a mostra outras quatro maquetes, na escala de 1:500, que traçam o perfil do conjunto arquitetônico, as relações que mantém com o mar e a encosta.

O processo de reconstrução dos desenhos de Lina e a produção das maquetes realizada durante a oficina estarão na mostra, através de dois grandes painéis com fotografias do desenvolvimento dos trabalhos. Um vídeo exibido durante a mostra traz o making of do processo criativo.

CONVERSA

No dia 19 de dezembro, Carla Zollinger participa da Conversa com a arquiteta, que acontece no Cinema do MAM, às 15h. O encontro é aberto ao público e vai promover o diálogo entre os participantes e a convidada sobre o desenvolvimento das maquetes e a relação com o projeto de recuperação de Lina Bo Bardi para o MAM-BA. A entrada é gratuita. A visitação da exposição vai até 6 de janeiro de 2013, de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h.

ARTE POPULAR

Lina Bo Bardi também tem participação em outro museu do IPAC, o Centro Cultural Solar Ferrão, localizado na Rua Gregório de Mattos, n.45, no coração do Pelourinho. Uma das salas do Ferrão tem a Coleção de Arte Popular com peças nordestinas coletadas entre as décadas de 50 e 60 do século XX, cujo núcleo inicial foi originado pelo cenógrafo e diretor de teatro Martim Gonçalves, posteriormente, ampliado por Lina. São peças utilitárias e figurativas, dentre elas carrancas, ex-votos, imaginária, esculturas em cerâmica, fifós, panelas, potes de barro, brinquedos, utensílios domésticos e objetos criados a partir de materiais recicláveis, que mostram uma sintonia entre a arte e a vida cotidiana. A visitação ao Ferrão acontece de terça a sexta, das 12h as 18h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. Contatos via telefones (71) 3116- 6743, 3116-6740, ou endereço eletrônico [email protected].

SERVIÇO:

Mostra de Maquetes Oficina Lina Bo Bardi

Abertura: 30 de novembro, às 18h – sexta-feira

Local: Galeria 1 do MAM-BA

Visitação: 1º de dezembro a 6 de janeiro

Horários: terça a sexta, das 13h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h

Gratuito

Endereço: Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM-BA, Av. Contorno, s/n, Solar do Unhão, Salvador, Bahia

Informações: (71) 3117 6139

Em 16 de março de 2009, ocorreu a exposição de ‘Fragmentos: Artefatos Populares, o Olhar de Lina Bo Bardi’ realizada no Solar Ferrão, localizado na rua Gregório de Matos, Centro Histórico, Pelourinho, Salvador, Bahia.
Em 16 de março de 2009, ocorreu a exposição de ‘Fragmentos: Artefatos Populares, o Olhar de Lina Bo Bardi’ realizada no Solar Ferrão, localizado na rua Gregório de Matos, Centro Histórico, Pelourinho, Salvador, Bahia.cultu
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113602 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]