Deputado Carlos Geilson critica mudança no discurso do PT sobre ex-presidente da EMBASA

Carlos Geilson: “Quando Wagner assumiu, disseram que o governo recebeu uma herança maldita da Embasa. E aquele que foi massacrado pelos deputados do PT nesta Casa vai assumir um cargo importante nesse governo. A história do PT é a seguinte: se você não está com o partido, está na fogueira do inferno; se você vai para o governo, encontra a salvação”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Carlos Geilson: “Quando Wagner assumiu, disseram que o governo recebeu uma herança maldita da Embasa. E aquele que foi massacrado pelos deputados do PT nesta Casa vai assumir um cargo importante nesse governo. A história do PT é a seguinte: se você não está com o partido, está na fogueira do inferno; se você vai para o governo, encontra a salvação”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Carlos Geilson: “Quando Wagner assumiu, disseram que o governo recebeu uma herança maldita da Embasa. E aquele que foi massacrado pelos deputados do PT nesta Casa vai assumir um cargo importante nesse governo. A história do PT é a seguinte: se você não está com o partido, está na fogueira do inferno; se você vai para o governo, encontra a salvação”.  (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Carlos Geilson: “Quando Wagner assumiu, disseram que o governo recebeu uma herança maldita da Embasa. E aquele que foi massacrado pelos deputados do PT nesta Casa vai assumir um cargo importante nesse governo. A história do PT é a seguinte: se você não está com o partido, está na fogueira do inferno; se você vai para o governo, encontra a salvação”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

Presidente da Embasa nos governos de César Borges e Paulo Souto, José Lúcio sofreu sérias críticas dos deputados petistas na época. Agora, é o nome indicado pelo governador Jaques Wagner para assumir a presidência da Conder, no lugar do técnico Milton Vilas-Boas. A mudança de postura do PT em relação ao ex-presidente foi apontada pelo deputado Carlos Geilson (PTN), em pronunciamento na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (06/11/2012).

“Quando Wagner assumiu, disseram que o governo recebeu uma herança maldita da Embasa. E aquele que foi massacrado pelos deputados do PT nesta Casa vai assumir um cargo importante nesse governo. A história do PT é a seguinte: se você não está com o partido, está na fogueira do inferno; se você vai para o governo, encontra a salvação”, criticou o parlamentar.

De acordo com Geilson, o PT tenta persuadir o eleitor com um discurso falso. “Hoje a Embasa aumenta a conta 13% em um ano, 14% no outro e nunca se faltou tanta água em Salvador como atualmente, mas no tempo de Zé Lúcio ele era massacrado. Contraditoriamente, ele agora é o nome para reerguer a Conder. Já foi indicado pelo governador e na próxima semana deve ter seu nome referendado”.

O deputado disse ainda que, como José Lúcio é muito ligado a César Borges, essa indicação do governador deve ser pelos serviços prestados por Borges a Pelegrino, na eleição para prefeito da capital. “Se vai para a Conder deve ser um técnico competente, mas quando estava na Embasa era um técnico inidôneo”, ironizou. E pontuou: “Lamentável essa postura do PT sobre todos os aspectos”.

CONDER terá novo diretor-presidente

O engenheiro Milton Villas-Bôas solicitou, nesta segunda-feira (05/11/2012), por motivos pessoais, o afastamento do cargo de diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder). Para o lugar foi indicado José Lúcio Lima Machado, engenheiro civil e administrador de empresas.

José Lúcio Machado terá o nome oficializado em assembleia-geral da empresa, no início da próxima semana. A convocação da assembleia será publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (6) e a previsão é que a posse aconteça na quarta-feira da próxima semana (14).

Baiano, José Lúcio Machado, formou-se em Engenharia Civil, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e em Administração de Empresas, pela Unifacs, além de ter mestrado na área de Marketing e Gestão Empresarial, na Universidade de Lisboa. Ele já foi superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) na Bahia e diretor-presidente da Embasa.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9382 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).