Vereador feirense Ailton Mô afirma que recebeu vários telefonemas sobre crimes eleitorais. Confira os debates da CMFS

Logomarca do Jornal Grande Bahia
Logomarca do Jornal Grande Bahia

Eleições 2012: “Recebi vários telefonemas sobre crimes eleitorais”, diz Ailton Mô 

As denúncias de crimes eleitorais nas eleições de 2012, em Feira de Santana, foram alvo de discurso do vereador Ailton Mô, na sessão legislativa desta terça-feira (09/10/2012).

No tocante a compras de votos, o Código Eleitoral vigente estabelece, no artigo 299, que a prática é configurada como crime eleitoral. A previsão de pena é reclusão de quatro anos e pagamento de cinco a 15 dias-multa.

O delito é tipificado na lei da seguinte forma: “Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita”.

Segundo o vereador, “tivemos uma campanha muito desigual. Há vários candidatos que jogam pesados e que fazem de tudo para se eleger. Eu recebi telefonemas falando de vários esquemas que aconteceram em Feira de Santana”, afirmou.

 Em sua opinião, esses “esquemas” são conhecidos em Feira de Santana, bem como em todo o Brasil. Ailton Mô cobrou do Ministério Público e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) mais fiscalização e repressão aos crimes eleitorais.

Com 2.403 votos, ele não conseguiu ser reeleito, mas declarou que sua campanha foi vitoriosa, uma vez que foi feita com poucos recursos e, apesar disso, superou a votação da eleição anterior, onde obteve 1.535 votos.

Ailton Mô agradeceu aos assessores, lideranças, voluntários e amigos que se empenharam na sua campanha. “A campanha do vereador Ailton Mô teve a participação de pessoas que acreditam em nós, na nossa vontade de fazer diferente, que acreditam na nossa conduta e no nosso potencial”, assinalou.

Justiniano defende reforma política 

Ao fazer uma análise sobre as eleições, o vereador Justiniano França disse, em discurso na sessão da Câmara Municipal, nesta terça-feira (9), que o sistema político brasileiro precisa ser reformado.

 “Cada vez fica mais claro neste país a necessidade de uma reforma política. Hoje, pela manhã, vi na televisão que em uma cidade um candidato ganhou a eleição por um voto e em outro município houve empate, ficando a vaga de prefeito para o candidato mais velho”, relatou.

 De acordo com a Justiça Eleitoral, em casos de empate no total de votos válidos de uma disputa, o resultado das urnas é decidido pelo critério de idade dos candidatos. “Quem disse que a pessoa com mais idade é a melhor para assumir aquela Prefeitura?”, questionou, defendendo uma nova eleição para esse caso.

 O democrata também informou que “o presidente da Câmara de Salvador falou sobre a necessidade da reforma partidária, porque ele foi o 30º de 43 e não alcançou a eleição”, disse.

 Na oportunidade, salientou que a maioria dos vereadores de mandato da capital baiana não logrou êxito. Ele destacou a eleição do candidato Val “Mal-assombrado” que preencheu a última vaga de vereador em Salvador.

 O democrata fez uma ponderação em relação ao aumento do número de candidatos a cargos eletivos com nomes bizarros. Em sua opinião, a Justiça Eleitoral precisa conter os abusos. “É preciso colocar para sociedade a seriedade que é a vida pública, a seriedade que é a política”, cobrou.

 Sobre financiamento público de campanhas, Justiniano indagou: “como é que vai acontecer financiamento público de campanha com o modelo político que a gente tem aí?”.

 Para ele, essas questões apontadas e outras devem ser analisadas na reforma política. Todavia, se mostrou descrente quando afirmou que, além da reforma política, o Congresso Nacional não tem interesse de fazer as reformas tributária e previdenciária.

“Sinto-me um homem muito feliz por ter contribuído com o desenvolvimento da Queimadinha”, diz Bastinho 

O líder do governo na Câmara, José Sebastião – Bastinho é o primeiro suplente da coligação PSD/PRB/PDT, com 3.575 votos que obteve na eleição deste ano.

O vereador não conseguiu a reeleição, mas se mostrou feliz com os avanços sociais oriundos de suas ações no bairro Queimadinha.

“Eu quero dizer ao povo de Feira de Santana que me sinto muito feliz, porque tive a oportunidade de ser vereador, praticamente, eleito pelo bairro da Queimadinha, onde o prefeito Tarcízio Pimenta fez vários feitos, através de minhas indicações, em prol da coletividade”, comemorou.

Dentre as ações destacadas por ele estão a implantação da Padaria Comunitária, pavimentação de ruas, ampliação do número de jovens e crianças no Projeto Esporte e Cidadania, implantação do Centro Comunitário e realização do Forró do Sibulino.

Ele agradeceu a Deus pelas conquistas diárias, aos assessores e amigos, em especial ao seu líder político, deputado federal Fernando Torres, que, segundo Bastinho, o tempo todo esteve ao seu lado.

“Aqui nesta Casa não fiz nenhum inimigo, pelo contrário, me coloquei a disposição de todos, fui parceiro, amigo e leal. Tratei todos de forma igualitária. Em nenhum momento fui covarde”, afirmou, salientando que honrou o mandato e o povo de Feira de Santana, apesar de muitos não entenderem as suas propostas.

Desempenho de Jhonatas, superior ao do prefeito, é alvo de ironias por Tourinho 

A superioridade do candidato a prefeito de Feira de Santana pelo PSOL, Jhonatas Monteiro, sobre o prefeito Tarcízio Pimenta, candidato à reeleição, foi alvo de comentário do vereador Roberto Tourinho.

Jhonatas obteve 27.317 votos nas eleições (percentual de 9,21%), quase 10 mil votos a mais que o atual prefeito, Tarcízio Pimenta.

Segundo Tourinho, o desempenho do candidato do PSOL deu-se por conta da rejeição a administração do atual gestor. “Eu não esperava diferente. Acho até que Tarcízio teve muito voto”, ironizou.

Para ele, outro fator que contribuiu para o declínio do atual prefeito foi a impugnação da candidatura de Adelmo Menezes, do PPL.

“Com a impugnação de Adelmo Menezes, o prefeito Tarcízio Pimenta saiu favorecido nesta disputa. Pois se o candidato do PPL mantivesse sua candidatura a prefeito, o atual gestor correria o risco de ser o quinto colocado nas pesquisas”, disse, mais uma vez ironizando.

David Neto agradece a Geilson, Tarcízio, Graça e Ronaldo, pelo apoio em sua reeleição 

Reeleito para o seu segundo mandato na Câmara de Feira de Santana, o vereador David Neto explicou, em pronunciamento na Casa, sobre sua postura política durante a campanha.

“Eu não poderia estar em certos locais onde foram feitos benefícios pelo prefeito Tarcízio Pimenta, mesmo por minha solicitação”, disse ele.

Raciocina que, como durante a campanha de prefeito apoiou o candidato José Ronaldo, sua presença em comunidades onde o atual prefeito fez intervenções seria mal interpretada pelas pessoas. “Alguém poderia dizer: que vereador traíra é esse?”, acrescentou.

Quanto a sua votação no último pleito, lembrou que foi o segundo da coligação e o sexto na votação geral. Na opinião de David Neto, em política tem que se “fazer amizades”.

Agradeceu ao deputado Carlos Geilson, que o colocou no PTN, e também aos pastores de igrejas evangélicas que o ajudaram.

Também fez agradecimento à deputada Graça Pimenta, ao prefeito Tarcizio Pimenta e ao futuro prefeito José Ronaldo.

Vereador vai se licenciar da Câmara pelo período de 15 dias 

O vereador Angelo Almeida vai solicitar um período de licença da Câmara Municipal. Ele vai se afastar por 15 dias, abrindo mão da remuneração do Poder Legislativo.

Segundo o vereador anunciou em discurso no plenário da Câmara, nos próximos dias ele estará atuando na campanha do seu colega petista Nelson Pelegrino, que disputará o segundo turno para prefeito em Salvador, contra o democrata ACM Neto.

Ele encaminhou, nesta terça-feira (9), o ofício pedindo a licença à Mesa Diretora da Câmara. Segundo informou, em conversa com o secretário de Organização do Partido dos Trabalhadores no Estado da Bahia, Everaldo Anunciação, optou por esta decisão.

“Durante esse período, estaremos engajados na campanha para eleger o companheiro Nelson Pelegrino novo prefeito da capital baiana”, disse.

Eleições 2012: Tom se diz satisfeito com a votação na Rua Nova 

O vice-presidente do Legislativo feirense, Ewerton Carneiro – Tom, com 3.422 votos, ficou na primeira suplência da coligação DEM/PTN/PMDB.

Em seu pronunciamento na tribuna da Câmara, nesta terça-feira (9), apesar de não ser reeleito, ele agradeceu aos munícipes, em especial aos moradores do bairro Rua Nova, pela votação obtida.

 “Muitos acham que a votação do vereador Tom lá caiu, mas pelo contrário, eu aumentei 100 votos naquela região. Os votos que eu perdi foram em outras localidades, onde algumas igrejas não caminharam conosco, mas na Rua Nova, eu estou muito satisfeito com os votos”, afirmou.

 Conforme ele, o resultado negativo nas urnas não lhe abalou muito. “Eu me preparei para a derrota e para a vitória; estou muito em paz”, declarou.

 Em sua opinião, “tudo acontece com a permissão de Deus. Os colegas vereadores voltaram porque Deus permitiu”. Na oportunidade, Tom destacou a votação expressiva do seu partido. Foram eleitos três vereadores do PTN: Roque Pereira, David Neto e Wellington.

 O vereador disse que aprendeu muito com a campanha de 2012. Garantiu que o seu trabalho político vai continuar em prol dos menos favorecidos, com ou sem mandato. “Já mandei plotar os ônibus, ambulância. Vamos continuar trabalhando firme, olho a olho, cara a cara”.

 Tom informou também que, a partir do dia 1º de janeiro, tem duas opções para optar. Uma delas, segundo ele, é que pode voltar a trabalhar na Polícia Militar, uma vez que está licenciado da corporação. Salientou também que está estudando a possibilidade de cuidar da emplacadora dele.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112633 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]