Tribunal de Justiça da Bahia legaliza casamento homoafetivo e Deputado Marcelino Galo diz que casamento civil entre pessoas do mesmo sexo fortalece a luta pela diversidade

Marcelino Galo: “Essa é mais uma conquista da comunidade LGBT e dos casais homoafetivos, que agora terão o direito de oficializar suas relações com o aval da justiça e seguindo os mesmos protocolos. A Bahia mostra que continua no caminho certo para erradicar o preconceito, mostrando ser um estado laico e que absorve as propostas da sociedade”
Marcelino Galo: “Essa é mais uma conquista da comunidade LGBT e dos casais homoafetivos, que agora terão o direito de oficializar suas relações com o aval da justiça e seguindo os mesmos protocolos. A Bahia mostra que continua no caminho certo para erradicar o preconceito, mostrando ser um estado laico e que absorve as propostas da sociedade”
Marcelino Galo: “Essa é mais uma conquista da comunidade LGBT e dos casais homoafetivos, que agora terão o direito de oficializar suas relações com o aval da justiça e seguindo os mesmos protocolos. A Bahia mostra que continua no caminho certo para erradicar o preconceito, mostrando ser um estado laico e que absorve as propostas da sociedade”
Marcelino Galo: “Essa é mais uma conquista da comunidade LGBT e dos casais homoafetivos, que agora terão o direito de oficializar suas relações com o aval da justiça e seguindo os mesmos protocolos. A Bahia mostra que continua no caminho certo para erradicar o preconceito, mostrando ser um estado laico e que absorve as propostas da sociedade”

A decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) de legalizar, no estado, o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo é mais uma iniciativa que fortalece a luta pela diversidade no país. A afirmação é do deputado Marcelino Galo (PT), que transformou seu mandato na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) em um instrumento das lutas do segmento LGBT, encampando suas bandeiras e construindo uma sociedade voltada para o respeito à diversidade e em defesa da cidadania LGBT.

“Essa é mais uma conquista da comunidade LGBT e dos casais homoafetivos, que agora terão o direito de oficializar suas relações com o aval da justiça e seguindo os mesmos protocolos. A Bahia mostra que continua no caminho certo para erradicar o preconceito, mostrando ser um estado laico e que absorve as propostas da sociedade”, declara o parlamentar.

A publicação da decisão do TJ-BA saiu na quarta-feira (10), no Diário Oficial da Justiça, assinada pela corregedora-geral de Justiça, a desembargadora Ivete Caldas, e pelo corregedor das comarcas do interior, o desembargador Antônio Pessoa Cardoso.  A medida estabelece que, a partir do dia 26 de novembro, os casais poderão solicitar o começo do processo nos cartórios.

Em maio de 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) legalizou a união estável homoafetiva. “Ainda há muito o que avançar nos estados e municípios. São muitas as políticas públicas a serem executadas no âmbito da educação para a diversidade, saúde integral LGBT, segurança, turismo, desenvolvimento social, trabalho e renda e cultura LGBT”, finaliza Galo.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9387 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).