Quem quer se um Blue Man? Blue Man Group, TIM e Caldeirão do Huck escolhem o primeiro brasileiro que irá integrar o elenco de um dos mais criativos e irreverentes grupos do cenário artístico mundial

Blue Man Group, TIM e Caldeirão do Huck escolhem o primeiro brasileiro que irá integrar o elenco de um dos mais criativos e irreverentes grupos do cenário artístico mundial.
Blue Man Group, TIM e Caldeirão do Huck escolhem o primeiro brasileiro que irá integrar o elenco de um dos mais criativos e irreverentes grupos do cenário artístico mundial.

 

Blue Man Group, TIM e Caldeirão do Huck escolhem o primeiro brasileiro que irá integrar o elenco de um dos mais criativos e irreverentes grupos do cenário artístico mundial.
Blue Man Group, TIM e Caldeirão do Huck escolhem o primeiro brasileiro que irá integrar o elenco de um dos mais criativos e irreverentes grupos do cenário artístico mundial.

Quem faz música, sabe se expressar artisticamente e consegue cativar e mexer com as pessoas está a um passo de ficar azul! A partir do próximo ano, o Blue Man Group terá em seus quadros um brasileiro, que será escolhido diante de todo o Brasil no Caldeirão do Huck, da TV Globo. As inscrições foram anunciadas pelo apresentador Luciano Huck no programa deste sábado (29/09). O reality show é uma parceria com a TIM, que tem o trio como estrela de suas campanhas publicitárias desde 2009.

Entre os meses de outubro e novembro deste ano, um grupo de especialistas do Blue Man Group realizará audições com centenas de candidatos brasileiros em três capitais – Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador – e escolherá cinco finalistas entre inscritos de todo o país para concorrer a uma vaga no elenco de um dos mais badalados e criativos grupos performáticos do mundo, que misturando música, humor, entretenimento, tecnologia, arte, inovação e coletividade. Em sua história, o BMG ostenta um currículo de mais de 50.000 performances por todo o mundo e já foram assistidos por mais de 25 milhões de pessoas. São 75 performers que fazem parte da companhia e viajam o mundo atuando em espetáculos do grupo.

Phil Stanton, um dos criadores e diretores do BMG, afirma que o grupo está animado com a interação com o Brasil e a escolha de um Blue Man brasileiro. “Nós estamos na expectativa deste encontro com o Brasil desde 1991. Pessoalmente sempre tive certeza de que um dia nos encontraríamos aqui. Eu sabia desde os primeiros dias deste projeto que havia uma conexão entre a cultura “Blue Man” e a cultura brasileira. Talvez seja o espírito aventureiro do povo, ou o calor inclusivo da cultura brasileira, ou talvez seja tão simples como o entendimento compartilhado do poder da percussão ou a importância da música em geral, mas eu sinto que há uma afinidade com nosso trabalho no Brasil, e uma perfeita compreensão do personagem “Blue Man”, que é inigualável em qualquer outra cultura no mundo.”

O Blue Man Group no Brasil e a TIM

O Blue Man Group se apresentou no Brasil em 2007 e 2009, com o espetáculo musical “How To Be a Megastar”, lotando casas de espetáculos no Rio de Janeiro e em São Paulo. No país, são reconhecidos também por ser a “assinatura” da marca TIM há cerca de três anos. A associação da operadora com o Blue Man Group vai além da cor azul: traz as mensagens de inovação, versatilidade e modernidade da marca. O grupo estrela as peças publicitárias da empresa e participa de ações promovidas ou patrocinadas pela companhia.

O Blue Man Group se apresentou no Brasil em 2007 e 2009, com o espetáculo musical “How To Be a Megastar”, lotando casas de espetáculos no Rio de Janeiro e em São Paulo.
O Blue Man Group se apresentou no Brasil em 2007 e 2009, com o espetáculo musical “How To Be a Megastar”, lotando casas de espetáculos no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Um destaque foi o Bloco Azul TIM, no Carnaval de Salvador de 2011, quando o Blue Man Group se apresentou em um trio elétrico ao lado de Carlinhos Brown, atraindo uma multidão e desfilando por seis horas no circuito Barra-Ondina. A ação mais recente aconteceu este mês, na feira de arte contemporânea ArtRio, realizada no Rio de Janeiro e patrocinada pela TIM. A empresa trouxe o Blue Man Group para realizar 11 apresentações em três dias de evento, interagindo com os visitantes no mais tradicional estilo de street art. Foi a primeira de uma série de ações da TIM com o intuito de conectar o Blue Man Group à criatividade e à cultura brasileira.

“O apoio à ação no Caldeirão do Huck faz parte de um movimento da TIM para aproximar mais o Blue Man Group dos consumidores brasileiros. Queremos que as pessoas entendam porque associamos o grupo a nossa marca. Outras iniciativas serão lançadas em breve. Além disso, é uma ação que vai ao encontro do posicionamento da TIM, de potencializar a vida das pessoas, fazer com que elas se sintam sem fronteiras, para poderem se comunicar mais, fazer mais e ir mais longe. Vamos potencializar a vida de um brasileiro, permitindo que ele alcance o sonho de integrar um dos grupos artísticos mais prestigiados do mundo”, explica Lívia Marquez, diretora de Advertising & Brand Management da TIM Brasil.

A seleção no Caldeirão do Huck

O projeto para descobrir um talento brasileiro é uma parceria com a TIM e terá as inscrições abertas no site www.globo.com/caldeirao. Os candidatos devem ser do sexo masculino, com um bom preparo físico, altura entre 1,77m e 188 e idade entre 25 e 35 anos. Conhecimentos de música e artes cências são essenciais. A banca examinadora, formada por diretores ligados ao Blue Man Group, selecionará os finalistas em audições que acontecerão em São Paulo (29, 30, 31 de outubro e 01 de novembro), Rio de Janeiro (6, 7 e 8 de novembro) e Salvador (13 e 14 de novembro). Os cinco finalistas selecionados serão enviados a Nova Iorque, onde participarão de workshops junto ao BMG durante um período de oito a doze semanas. De volta ao Brasil, eles participarão das finais no programa Caldeirão do Huck, e o grande vencedor se juntará à companhia.

O Blue Man Group

O trio de homens azuis é considerado uma das mais instigantes manifestações artísticas mundiais contemporâneas.
O trio de homens azuis é considerado uma das mais instigantes manifestações artísticas mundiais contemporâneas.

O trio de homens azuis é considerado uma das mais instigantes manifestações artísticas mundiais contemporâneas. O visual irreverente é apenas parte do conceito do grupo que realiza uma “colagem” artística elogiada por críticos de todo o mundo. A trupe é conhecida por suas apresentações envolventes, que abarcam música, vídeo, pintura, animação, teatro vaudeville e performance.

A fascinação e a curiosidade que os amigos Chris Wink e Phil Stanton, co-fundadores do Blue Man Group, conseguiram despertar nos nova-iorquinos foi o primeiro passo para a profissionalização do Blue Man, que trocou as performances nas ruas por uma temporada em um teatro off-Broadway. Nos palcos, consagrou-se como um dos espetáculos mais assistidos e aplaudidos da cidade, alcançando projeção mundial.

A irreverência visual e sonora apresentada no palco não tardou a conquistar outros espaços. Em 1999, o grupo lançou seu primeiro álbum, “Audio”, baseado em parte na música feita no palco de sua performance teatral. O trabalho foi indicado para o Grammy na categoria Melhor Álbum Pop Instrumental. Em 2002, o grupo integrou a turnê mundial de Moby com uma performance mais voltada para o rock e para os efeitos sonoros e visuais. Essa turnê gerou o álbum “The Complex” em 2003, com a participação de Tracy Bonham, Dave Matthews, Gavin Rossdale e outros vocalistas. No mesmo ano, os homens azuis fizeram sua primeira turnê mundial sozinhos, “The Complex Rock Tour”, que foi registrada em DVD e lançada em 2004. Em 2006, foi lançado o espetáculo “How to Be a MegaStar 2.0”. Em 2007, lançaram o CD e o DVD “How to be a Megastar Tour 2.1”.

Os artistas do “Blue Man Group” tem um procedimento único para ficarem azuis. Uma maquiagem com uma tinta exclusiva garante um visual surpreendente e impactante.

As tintas não fazem parte apenas do visual dos personagens, elas também integram e colorem números da atração e até mesmo os espectadores das primeiras filas. O próprio grupo recomenda que o público das primeiras filas se proteja com capas ou utilize roupas confortáveis.

Atualmente, o Blue Man Group conta com diversos artistas que performam em espetáculos fixos nas cidades de Nova York, Boston, Chicago, Las Vegas e Orlando (EUA), Berlim (Alemanha) e Tóquio (Japão), além das turnês por todo o mundo.

Sobre a TIM

A TIM é a operadora que mais cresce no país. Atualmente, possui 69,39 milhões de clientes e 26,91% de market share, consolidando-se na vice-liderança do mercado. O desempenho é fruto dos serviços inovadores da companhia, que levaram a marca, por exemplo, a ser apontada como a preferida da classe média dentre as empresas de telefonia móvel, segundo pesquisa do instituto Data Popular.

Outro foco da TIM é a qualidade da sua rede e do atendimento. No triênio que vai até 2014, a companhia aplicará em infraestrutura cerca de 80% dos R$ 9 bilhões previstos para investimentos no Brasil. Entre as negociações para expansão da rede também destacam-se a compra da Intelig, em 2009, e da AES Atimus, em 2011, que deu origem à TIM Fiber, com 5,5 mil quilômetros de fibra ótica no Rio e em São Paulo. Além disso, a empresa instalará rede de fibra ótica no Amazonas, Pará e Amapá, por meio da LT Amazonas, permitindo a inclusão digital da população de áreas remotas do país.

A TIM é ainda a única do setor de telecom a integrar o Novo Mercado da BM&FBOVESPA, reconhecido como nível máximo de governança corporativa. Faz parte também do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e do Índice de Carbono Eficiente (ICO2), ambos da BM&FBOVESPA. Para mais informações, acesse www.tim.com.br ou http://twitter.com/timtimportimtim.

Sobre Carlos Augusto 9511 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).