Matéria do Correio Braziliense destaca liderança do governador Jaques Wagner

Jaques Wagner e Lula. Governador da Bahia se torna um das mais importantes lideranças nacionais do PT.
Jaques Wagner e Lula. Governador da Bahia se torna um das mais importantes lideranças nacionais do PT.
Jaques Wagner e Lula. Governador da Bahia se torna um das mais importantes lideranças nacionais do PT.
Jaques Wagner e Lula. Governador da Bahia se torna um das mais importantes lideranças nacionais do PT.

Com o título ‘”Galego” contra o PSB’, a matéria do jornal Correio Braziliense, publicada hoje (22/10/2012), por Denise Rothenburg e Paulo De Tarso Lyra, aborda a trajetória do governador da Bahia, Jaques Wagner, de membro do ministério do governo Lula, à líder político na Bahia.

A reportagem avalia que caso Nelson Pelegrino ganhe as eleições em Salvador, Jaques Wagner se torna a maior liderança do Partido dos Trabalhadores no Nordeste. Outra característica destacada, é personalidade política do governador, e a capacidade de aglutinar oposições dentro de um projeto.

Confira a matéria

“Galego” contra o PSB’

O escândalo do mensalão havia caído há menos de seis meses como uma bomba no colo do PT, quando o então ministro de Relações Institucionais, Jaques Wagner, avisou ao presidente Lula que seria candidato ao governo da Bahia em 2006. “Não vá, eu preciso de você aqui comigo”, pediu Lula. Jaques Wagner, o “Galego”, emocionou-se, mas permaneceu irredutível na decisão. “Ele vai sair, vai perder, depois vai querer voltar e eu não vou poder nomear porque não posso abrir o governo a todos os derrotados nas eleições como fiz em 2002”, resmungou Lula a um interlocutor que presenciou o diálogo acima.

Se conseguir emplacar o petista Nelson Pellegrino como prefeito de Salvador no próximo domingo, o desacreditado Wagner de 2006 vai se tornar, em 2012, o maior nome do PT no Nordeste. Para os petistas, isso não é pouco. Significa um contraponto ao crescimento do PSB de Eduardo Campos na região.

O incensado Jaques Wagner de hoje não tinha crédito político nenhum na praça em 2006. “Ninguém, além dele, acreditava na hipótese de vitória”, admitiu ao Correio um ex-ministro de Lula. Mas Wagner foi eleito governador no primeiro turno, quebrando a hegemonia do grupo do ex-senador Antonio Carlos Magalhães, comandando o estado há 16 anos. Foi reeleito quatro anos depois, tornando-se uma das maiores apostas do partido no Nordeste.

A região tornou-se crucial para o PT. Pelos cálculos do partido, a presidente Dilma Rousseff se sairá bem no Sul e no Sudeste, à exceção de Minas Gerais, onde o pré-candidato do PSDB, Aécio Neves, tem a vantagem. Portanto, se conseguir evitar o crescimento de Eduardo Campos no Nordeste, hoje visto com desconfiança por parte do PT, Dilma terá mais segurança numa campanha eleitoral. “Não vejo como fazer essa comparação. Eduardo é uma liderança mais enraizada, afirmativa, ousada e audaciosa. Menos blazê”, completa o ex-deputado Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), desafeto político de Wagner.

Longe de atritos

As semelhanças estão no jeito leve de tratar a política, sem grandes atritos com os adversários ou ações que levem os desentendimentos para o campo pessoal. Da mesma forma que Eduardo Campos hoje atrai o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Wagner também aglutinou adversários. “Ele é leve, jeitoso, tem um jeito moderno e conciliador de fazer política”, disse ao Correio o senador Delcídio Amaral (PT-MS), que dividiu com ele os holofotes em 2005 e 2006. Wagner era ministro da Articulação Política e Delcídio, presidente da CPI dos Correios.

O desafio será, além de eleger Pelegrino, reorganizar as contas estaduais e recuperar o prestígio perdido por conta da greve dos policiais, que deixou a imagem do comando estadual arranhada e quase põe a perder o projeto político de tentar conquistar a prefeitura de Salvador. Eduardo não só tem as contas em dia, como venceu a eleição em Recife em primeiro turno.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111127 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]