Filmes premiados em Brasília, Gramado e Roterdã serão exibidos pela primeira vez na Bahia durante o VIII Panorama Internacional Coisa de Cinema

O som ao redor
O som ao redor
Cena do filme 'O som ao redor'.
Cena do filme 'O som ao redor'.

Selecionados entre quase 600 filmes, oito longas-metragens e vinte e oito curtas-metragens compõem as mostras competitivas do VIII Panorama Internacional Coisa de Cinema, que acontece em Salvador e Cachoeira, entre os dias 25 de outubro e 1º de novembro. Divulgada esta manhã, a lista de longas inclui obras como “Boa sorte meu amor”, o documentário “Otto”, recentemente premiados no Festival de Brasília; e “O som ao redor”, que ganhou o prêmio da Federação Internacional de Críticos de Cinema no Festival de Roterdã (Holanda) e levou quatro kikitos no Festival de Gramado.

Produções de São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Distrito Federal e Pernambuco serão exibidas nas mostras Competitiva Nacional de Longas, Competitiva Nacional de Curtas e Competitiva Baiana. O valor da premiação do melhor longa ainda está sendo definido. Os vencedores são eleitos por um júri soberano, que pode criar novas categorias, como ocorreu ano passado quando definiram menções honrosas para filmes e atores. Os jurados estão sendo confirmados.

Em todas as mostras competitivas, tramas de ficção, documentários, produções experimentais e animações concorrem entre si, gerando boas chances de surpresa nos resultados. O longa pernambucano “O som ao redor”, de Kleber Mendonça Filho, chega ao VIII Panorama após conquistar os prêmios da crítica, júri popular, direção e desenho de som do Festival de Gramado. O filme mostra a chegada de uma milícia em uma rua de classe-média de Recife e as diferentes reações geradas na comunidade.

O também premiado Otto (melhor documentário, fotografia, trilha sonora e som no Festival de Brasília) traz uma abordagem totalmente pessoal, ao acompanhar o processo de gravidez da mulher do diretor, o mineiro Cao Guimarães. Enquanto “Boa sorte, meu amor” (PE), de Daniel Aragão – vencedor do Candango de melhor direção – mostra o encontro entre Dirceu e Maria, ele um jovem descendente da aristocracia latifundiária, ela uma pianista de espírito livre. Todos os longas-metragens que serão exibidos são inéditos na Bahia.

Homenagem 

Cartaz do filme 'O som ao redor'.
Cartaz do filme 'O som ao redor'.

Tema homenageado do VIII Panorama, a pornochanchada terá uma mostra especial, com os filmes Ninfas Diabólicas e Volúpia de Mulher (John Doo), Império do Desejo (Carlos Reichenbach), Fuk Fuk à Brasileira (Jean Garrett) e Senta na minha, que eu entro na tua (Ody Fraga). O gênero, que marcou o cinema nacional na década de 80, também será abordado em uma oficina gratuita com o crítico Adolfo Gomes, que contextualiza o papel da pornochanchada na criação de uma identidade brasileira no cinema. Também será oferecida gratuitamente uma oficina de crítica cinematográfica com o crítico e jornalista João Carlos Sampaio.

Os interessados nas aulas de Adolfo Gomes devem ser maiores de 18 anos e enviar currículo e carta de intenção, enquanto os que quiserem fazer a oficina de crítica devem produzir uma resenha sobre algum filme exibido este ano no circuito.  Em  ambos  os casos,   o material  deve   ser   enviado  para  o  e-mail oficinas.panoramacoisadecinema@gmail.com, colocando o nome da oficina desejada no assunto da mensagem. Mais informações na página do evento no Facebook (Panorama Internacional Coisa de Cinema).

A programação do Panorama será exibida no Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha (Praça Castro Alves, s/n – Centro), na Sala Walter da Silveira (Rua General Labatut, 27 – Barris) e no Auditório da Universidade Federal do Recôncavo (Praça Ariston Mascarenhas, s/n). Os ingressos custarão R$ 12 / R$ 6 (sexta, sábado e domingo) e R$ 6,00 / R$ 3,00 (segunda a quinta) e algumas sessões terão entrada gratuita. A lista completa dos filmes selecionados está disponível no site www.coisadecinema.com.br.

Competitiva Nacional de Longas

– A cidade é uma só? / Is the city one only? (Adirley Queirós – DF)

– As hiper-mulheres/ The Hyperwomen (Carlos Fausto, Leonardo Sette, Takumã Kuikuro – PE)

– Boa Sorte, Meu Amor/ Good Luck, Sweetheart (Daniel Aragão – PE)

– Doméstica/ Housemaids (Gabriel Mascaro – PE)

– Esse Amor Que Nos Consome/ This love that consumes (Allan Ribeiro – RJ)
– O que se move/ The moving creatures (Caetano Gotardo – SP)
– Otto (Cao Guimarães – MG)

– O Som Ao Redor/ Neighbouring Sounds (Kleber Mendonça Filho – PE)

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9973 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).