Fábrica de pimenta da Bahia busca mercado estrangeiro

Logomarca do Jornal Grande Bahia
Logomarca do Jornal Grande Bahia

Produtor negocia contratos com compradores russos durante Encontro Internacional de Negócios do Nordeste 

Ela é a estrela da culinária baiana e se destaca pelo sabor marcante que adiciona aos pratos. A pimenta pode ser grande, pequena, ardida, de cheiro e até doce, quando feita em conserva. No município de Santa Rita de Cássia (BA), o empresário Pedro Tassi já tempera o mercado nacional com a linha de molhos e conservas de pimenta. O produto pode ser encontrado nas prateleiras de São Paulo, Piauí, Ceará, além do estado da Bahia. Nesta quarta-feira (24/10/2012), ele foi ao XVI Encontro Internacional de Negócios do Nordeste (EINNE) especialmente à procura de novos clientes e mercados entre os 26 países participantes. O evento é uma iniciativa do Sebrae e termina nesta quinta-feira, 25, em Salvador.

Pedro conta que o negócio começou de forma artesanal em Marília, no interior paulista, em 1975. “Nós plantávamos pimenta e produzíamos um molho com sabor diferente graças à técnica aprendida com um vizinho francês. Foi um sucesso”, lembra. Mas, o destino levou a família Tassi para a Bahia quando Pedro tinha 14 anos. Em 1986, o pai do rapaz comprou uma fazenda no Estado e continuaram a investir na especiaria. “A empresa era administrada pelos meus pais. Eu terminei a faculdade e fui ser executivo em Curitiba”, lembra.

Com a morte da mãe, em 2007, Pedro largou o emprego e foi tocar a empresa na Bahia. No ano seguinte, inaugurou uma pequena fábrica, a Sabor e Cor. No primeiro ano de funcionamento, o faturamento foi de R$ 28 mil. Hoje, a receita anual chega a R$ 360 mil. Segundo o empresário, a meta para 2013 é que a marca atinja ganhos anuais de R$ 1 milhão. A produção atual gira em torno de 120 mil frascos por ano e o cultivo utiliza a irrigação durante todo o ano. “Colho pimenta de alta qualidade todas as semanas. O projeto de irrigação é da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codesvasp) e contribuiu para a excelência dos produtos”, assinala.

Com nove funcionários fixos e 20 colaboradores que ajudam na colheita, a empresa abriu outros mercados e apostou na mandioca. A Sabor e Cor tem comercializado mandioca descascada, massa de mandioca para bolo e corantes. Em janeiro do próximo ano, a novidade será o lançamento da mandioca palito pré-cozida.

Pedro garante que está entusiasmado com o primeiro dia da rodada de negócios com compradores, no XVI EINNE. Ele já saiu com a promessa de fechar negócios com representantes russos. “O projeto do Sebrae é fantástico, porque insere as micro e pequenas empresas no mercado global, coisa que não teríamos como fazer de forma isolada”, opina. O empresário completa: “A instituição tem a expertise de promover capacitações, além de adequar nosso trabalho para exportação. Só tenho que aplaudir”, comemora.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111111 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]