Encontro em Salvador traz novo conceito em nutrição

Momento de descontração e troca e ideias.
Momento de descontração e troca e ideias.
Momento de descontração e troca e ideias.
Momento de descontração e troca e ideias.

Especialistas defendem que vida saudável pode ser adquirida por meio da combinação entre ciência nutricional e evolução da consciência humana 

Um novo conceito em nutrição que propõe um modelo de vida baseado na harmonia entre ciência, consciência humana, ecológica e espiritual. Essa foi a proposta do 2º Encontro Alquimia da Nutrição, que ocorreu no último final de semana em Salvador. Precursoras dessa nova abordagem, as nutricionistas Mônica Menezes e Gisele Palavro, abordaram temas como a mudança de padrões alimentares, as consequências individuais e ambientais das nossas escolhas alimentares, o ambiente tóxico e alimentos que auxiliam a desintoxicação; alimentos anti-inflamatórios e sua importância no equilíbrio da saúde e do peso.

Segundo as nutricionistas, além do homem ser um reflexo de sua alimentação, os desdobramentos desse ato pode contribuir ou prejudicar o meio ambiente. Dados de um relatório da ONU mostram que a produção de carnes e laticínios do mundo é responsável por 70% no consumo de água doce, 38% do uso da terra e 19% da emissão de gases do efeito estufa do planeta. Assim, o documento afirma que a queda global no consumo de carne é vital para evitar consequências desastrosas.

 Para que se tenha uma vida saudável, primeiro é necessário entender o papel do homem no universo, realizar gradativamente uma mudança de consciência e, depois, alterações nos hábitos alimentares tendo por base a ciência da nutrição.

O consumo de carnes, além de causar o sacrifício de animais, expõe o homem a toxinas, antibióticos e agrotóxicos. Além disso, nutri as bactérias de putrefação que estão no nosso intestino, desfavorecendo o equilíbrio entre as bactérias benéficas e maléficas, promovendo uma repercussão negativa no equilíbrio de todo o organismo.

Preocupada em adquirir uma vida mais saudável, a estudante universitária Leilane Calixto, participou de forma ativa do curso. “Me interessei por essa abordagem, pois o tema nutrição é trabalhado por completo, desde a questão ecológica, de evolução da consciência, até a necessidade de reduzir poluentes em nossas dietas. O curso quebra tabus, como a questão da ingestão de carnes e leite ”, relata.

A nutricionista Mônica Menezes afirma que para conquistar uma vida saudável geralmente é necessário rever conceitos e desfazer antigas crenças. “Na nossa alimentação estamos todos os dias expostos aos agrotóxicos, outros poluentes e consumindo alimentos tidos como essenciais à nutrição humana, porém com grande potencial maléfico à saúde, como o leite, por exemplo, que acidifica o sangue, piora problemas respiratórios, é contraindicado para pessoas com câncer, tem alto potencial alergênico, entre outros fatores. Além disso, o descarte das embalagens aumenta a produção de lixo”, explica Mônica.

Segundo as palestrantes e nutricionistas, vários alimentos contemplam de forma semelhante os nutrientes do leite e das carnes. Elas orientam o aumento da ingestão de feijão, lentilha, ervilhas, grão de bico, aveia, quinua, tofú, gergelim, amaranto, castanhas, nozes, amêndoas, folhas verdes, algas e cogumelos. Tais alimentos ainda possuem maiores benefícios, como é o caso das folhas verdes, em que o cálcio é melhor aproveitado pelo organismo humano.

“O que propomos é uma ação educativa. Uma evolução constante de consciência e autorespeito. Uma reflexão ampliada do homem sobre ele mesmo e o meio em que vive. Oferecemos subsídios para a mudança de estilo de vida e a conquista do bem-estar, tendo como consequência natural mais beleza e peso equilibrado”, encerra a nutricionista Gisele Palavro.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9615 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).