Eleito prefeito de Salvador, ACM Neto diz que vai fazer gestão austera

ACM Neto: “No começo da gestão, vamos tomar medidas duras para viabilizar a cidade. Isso envolve economia e ajuste da máquina administrativa para sobrar dinheiro para o que é urgente e imediato. Isso quer dizer limpeza, melhorar a iluminação, tapar os buracos, colocar os postos de saúde para funcionar, enfrentar o problema do trânsito. Vamos ser extremamente austeros”.ACM Neto: “No começo da gestão, vamos tomar medidas duras para viabilizar a cidade. Isso envolve economia e ajuste da máquina administrativa para sobrar dinheiro para o que é urgente e imediato. Isso quer dizer limpeza, melhorar a iluminação, tapar os buracos, colocar os postos de saúde para funcionar, enfrentar o problema do trânsito. Vamos ser extremamente austeros”.


ACM Neto: “No começo da gestão, vamos tomar medidas duras para viabilizar a cidade. Isso envolve economia e ajuste da máquina administrativa para sobrar dinheiro para o que é urgente e imediato. Isso quer dizer limpeza, melhorar a iluminação, tapar os buracos, colocar os postos de saúde para funcionar, enfrentar o problema do trânsito. Vamos ser extremamente austeros”.

ACM Neto: “No começo da gestão, vamos tomar medidas duras para viabilizar a cidade. Isso envolve economia e ajuste da máquina administrativa para sobrar dinheiro para o que é urgente e imediato. Isso quer dizer limpeza, melhorar a iluminação, tapar os buracos, colocar os postos de saúde para funcionar, enfrentar o problema do trânsito. Vamos ser extremamente austeros”.

O prefeito eleito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse hoje (29/10/2012) que vai trabalhar para que a atual gestão envie um projeto à Câmara de Vereadores com o objetivo de fazer uma reestruturação administrativa no Executivo municipal. “O primeiro passo agora é compor a equipe de transição. Já pensei em alguns nomes, mas não vou anunciar ainda. A partir daí, essa equipe de transição vai trabalhar no novo modelo administrativo que queremos implantar na prefeitura. Só então, no último passo, vamos definir nomes para as secretarias e outros órgãos”, afirmou, em coletiva à imprensa.

ACM Neto disse que, nesse novo modelo administrativo, vai reduzir, de forma linear, os cargos de confiança da prefeitura. “No começo da gestão, vamos tomar medidas duras para viabilizar a cidade. Isso envolve economia e ajuste da máquina administrativa para sobrar dinheiro para o que é urgente e imediato. Isso quer dizer limpeza, melhorar a iluminação, tapar os buracos, colocar os postos de saúde para funcionar, enfrentar o problema do trânsito. Vamos ser extremamente austeros”, avisou.

Neto falou com os jornalistas por volta de 12h30, em sua casa, no bairro de Ondina. Ele afirmou que quer conversar o mais rápido possível com o prefeito João Henrique (PP) sobre a transição. “Conversar com o prefeito João Henrique e com o governador Jaques Wagner são prioridades agora”, ressaltou, acrescentando que deve ter um encontro, ainda esta semana, com o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP). Neto, que também quer conversar com a presidente Dilma Rousseff, embarca amanhã para Brasília, onde cumpre agenda parlamentar.

Política

ACM Neto também falou sobre política durante a coletiva. Ele afirmou que não vai lotear politicamente a prefeitura e, questionado sobre o assunto, elogiou a declaração de João Henrique admitindo o erro que cometeu ao fatiar os cargos entre partidos. “Acho que foi uma declaração lúcida de quem sofreu na pele as conseqüências por ter fatiado a prefeitura. Eu não farei isso. Quem me apoiou sabe disso. Vamos governar ao lado dos melhores. Podemos até aceitar indicações de partidos, mas a pessoa tem que ser preparada”.

Indagado sobre as declarações do deputado federal Nelson Pelegrino (PT) na coletiva na qual admitiu a derrota, ACM Neto afirmou que “só está preparado para ganhar quem está preparado para perder”. “Mas não vou polemizar com o deputado Pelegrino. Espero contar com ele para ajudar a cidade. É natural que ele faça oposição. Se ele fosse eleito, eu também faria oposição, mas não de forma raivosa”.

ACM Neto afirmou que vai usar a experiência que acumulou no Parlamento para negociar com a oposição. “Vou dialogar com a oposição. Muitas pessoas vão até se assustar com isso, mas vou fazer sim. Não acredito que políticos como Waldir Pires (PT) e Edvaldo Brito (PTB) vão querer prejudicar Salvador”, frisou. “E vou respeitar a autonomia da Câmara. Não vou interferir nos assuntos da Câmara, a exemplo da escolha do seu presidente”, emendou.

Leia +

Eleições 2012 em Salvador | Com apoio do PMDB, ACM Neto foi eleito prefeito, mas abstenção de 21% preocupa

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).