Eleições 2012 | Em debate, ACM Neto diz que seu time é o povo de Salvador

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
ACM Neto: “Não preciso de bengala para me eleger prefeito. Minha candidatura nasceu nas ruas. Eu conto com o apoio do povo. Meu time é o povo de Salvador”.
ACM Neto: “Não preciso de bengala para me eleger prefeito. Minha candidatura nasceu nas ruas. Eu conto com o apoio do povo. Meu time é o povo de Salvador”.

“Não preciso de bengala para me eleger prefeito. Minha candidatura nasceu nas ruas. Eu conto com o apoio do povo. Meu time é o povo de Salvador”. Com essa veemente resposta o candidato ACM Neto, da coligação “É Hora de Defender Salvador”, sepultou as insistentes tentativas do adversário petista Nélson Pelegrino de condicionar a eleição municipal a alinhamentos políticos com os governos estadual e federal, durante o debate da TV Aratu, realizado na noite desta quarta-feira (24).

ACM Neto afirmou que, no caso de eleito, quem vai liderar a prefeitura é ele. “Vou governar com os melhores, que é o compromisso assumido com os partidos que me apoiam”. Garantiu que não iria repetir o filme fracassado do governo estadual, que foi fatiado com diversos partidos que fazem parte da base.

“Vai ser uma tarefa árdua, mas me dedicarei integralmente a ser prefeito de Salvador para devolver o brilho e a alegria à essa cidade que amo”, garantiu Neto, comprometendo-se a realizar um governo plural que atenda a toda a cidade.

O candidato democrata mais uma vez demonstrou serenidade em sua participação no debate. Enquanto buscava apresentar propostas e discutir os problemas da cidade, o oponente petista insistia em lhe fazer acusações infundadas, levando Neto a pedir diversas vezes a Pelegrino que parasse de mentir em respeito ao eleitor.

“Candidato Pelegrino, o senhor parece que tem um problema mal resolvido com o prefeito João Henrique, pois a todo o momento fala o nome dele, quando o seu adversário nesta eleição sou eu”, disse Neto, buscando conduzir o debate para a apresentação de propostas e discussão dos problemas da cidade.

Não foram poucas as vezes em que ACM Neto tentou ouvir de Pelegrino soluções para Salvador e o adversário desperdiçou o tempo lhe atacando. Questões cruciais como o crescimento da violência na cidade e a educação municipal ficaram sem respostas do petista. Neto, por sua vez, aproveitou as oportunidades para expor seus projetos de prevenção à violência, como o “Aluno em Tempo Integral”, que vai tirar crianças e jovens das ruas e levar para as escolas.

“Candidato Pelegrino, por causa da ineficiência da política de segurança pública e educação de seu governador Jaques Wagner, Salvador é uma das capitais brasileiras com maior número de homicídios e, na grande maioria, as vítimas são os jovens”, assinalou Neto, destacando que vai investir pesado em alfabetização e ampliará o número de creches na cidade, implantando novas e firmando parcerias com creches comunitárias.

ACM Neto observou que o governo do PT perdeu a guerra contra a violência. “Nos últimos seis anos a criminalidade só fez crescer. Quando secretário de Justiça, Pelegrino foi o coordenador de combate à violência e fracassou. Quem não fez na Secretaria Estadual de Justiça, não vai fazer na prefeitura”.

Em plena sintonia com Neto, a vice Célia Sacramento, que teve oportunidade de também debater com sua oponente Olívia Santana, deixou claro o compromisso da coligação “É Hora de Defender Salvador” com as políticas de promoção da igualdade social. “Vamos instituir o Estatuto da Igualdade em Salvador, no caso de sermos eleitos”.

Ao ficar sem resposta da adversária sobre propostas para o combate à corrupção, Célia Sacramento expôs os planos dela e de ACM Neto. “Vamos fazer uma administração transparente, em que o controle vai funcionar. Será uma gestão com prática de governança corporativa, intolerante com a corrupção”.

Sobre Carlos Augusto 9613 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).