Deputado Marcelino Galo diz que o PMDB da Bahia vai virar um apêndice do DEM e que Salvador renovou, mas continua com a mesma matriz

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Marcelino Galo: “A eleição em Salvador foi de muita luta, mas infelizmente o PT não saiu vitorioso. Na política isso acontece muito. Agora essa renovação na capital é geracional, mas a matriz é a mesma. E acredito ainda que partidos como o PMDB perderam o rumo em Salvador e tendem a virar um apêndice do DEM”
Marcelino Galo: “A eleição em Salvador foi de muita luta, mas infelizmente o PT não saiu vitorioso. Na política isso acontece muito. Agora essa renovação na capital é geracional, mas a matriz é a mesma. E acredito ainda que partidos como o PMDB perderam o rumo em Salvador e tendem a virar um apêndice do DEM”
Marcelino Galo: “A eleição em Salvador foi de muita luta, mas infelizmente o PT não saiu vitorioso. Na política isso acontece muito. Agora essa renovação na capital é geracional, mas a matriz é a mesma. E acredito ainda que partidos como o PMDB perderam o rumo em Salvador e tendem a virar um apêndice do DEM”
Marcelino Galo: “A eleição em Salvador foi de muita luta, mas infelizmente o PT não saiu vitorioso. Na política isso acontece muito. Agora essa renovação na capital é geracional, mas a matriz é a mesma. E acredito ainda que partidos como o PMDB perderam o rumo em Salvador e tendem a virar um apêndice do DEM”

Com o resultado das eleições municipais de 2012, o Partido dos Trabalhadores chega a 93 prefeituras em todo o estado. O deputado Marcelino Galo (PT) acompanhou o pleito na Bahia e, neste segundo turno, se dedicou às cidades de Salvador e Vitória da Conquista. Na capital, Galo diz que houve renovação, mas que os problemas continuarão por ser o eleito membro responsável pela atual gestão municipal. Já sobre Conquista, o parlamentar destaca a vitória de Guilherme Menezes e afirma que o PT vai agora para o seu quinto mandato na cidade, com o projeto ainda mais fortalecido.

“A eleição em Salvador foi de muita luta, mas infelizmente o PT não saiu vitorioso. Na política isso acontece muito. Agora essa renovação na capital é geracional, mas a matriz é a mesma. E acredito ainda que partidos como o PMDB perderam o rumo em Salvador e tendem a virar um apêndice do DEM”, dispara Marcelino Galo.

O deputado ainda continua dizendo que uma amostra da fraqueza do PMDB foi a eleição em Conquista, onde perdeu os dois turnos. “Foram mais de 77 mil votos no primeiro turno, contra 63 mil do adversário peemedebista. Neste segundo turno o número de Guilherme subiu para 91 mil, contra 70 mil de Herzem. Em Conquista, o PT teve a participação importante de partidos como o PDT e o PV, que declararam apoio a Guilherme”, finaliza.

Sobre Carlos Augusto 9654 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).