Com humor ferino, deputado Targino Machado provoca: “Se a eleição levasse em conta padrão de tamanho ou beleza, Dilma não teria subido a escadaria do Planalto”

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Targino Machado: “O candidato eleito terá uma tarefa dificílima, de suceder o prefeito João Henrique, um dos maiores desastres administrativos que uma cidade já suportou. Sinto vergonha quando visito outras capitais no Nordeste. Faço uma comparação com Salvador e vejo como nossa cidade está maltratada. Tenho fé que a democracia prevalecerá no domingo”.
Targino Machado: “O candidato eleito terá uma tarefa dificílima, de suceder o prefeito João Henrique, um dos maiores desastres administrativos que uma cidade já suportou. Sinto vergonha quando visito outras capitais no Nordeste. Faço uma comparação com Salvador e vejo como nossa cidade está maltratada. Tenho fé que a democracia prevalecerá no domingo”.
Targino Machado: “O candidato eleito terá uma tarefa dificílima, de suceder o prefeito João Henrique, um dos maiores desastres administrativos que uma cidade já suportou. Sinto vergonha quando visito outras capitais no Nordeste. Faço uma comparação com Salvador e vejo como nossa cidade está maltratada. Tenho fé que a democracia prevalecerá no domingo”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Targino Machado: “O candidato eleito terá uma tarefa dificílima, de suceder o prefeito João Henrique, um dos maiores desastres administrativos que uma cidade já suportou. Sinto vergonha quando visito outras capitais no Nordeste. Faço uma comparação com Salvador e vejo como nossa cidade está maltratada. Tenho fé que a democracia prevalecerá no domingo”. 

O deputado estadual Targino Machado (PSC) criticou nesta tarde de quarta-feira (24/10/2012) a atual administração do prefeito de Salvador, João Henrique, que deixará o cargo ao final deste ano. Segundo o parlamentar, a cidade foi muito maltratada durante a gestão dele e o próximo nome que assumir este importante cargo terá muito trabalho.

“O candidato eleito terá uma tarefa dificílima, de suceder o prefeito João Henrique, um dos maiores desastres administrativos que uma cidade já suportou. Sinto vergonha quando visito outras capitais no Nordeste. Faço uma comparação com Salvador e vejo como nossa cidade está maltratada. Tenho fé que a democracia prevalecerá no domingo”, afirmou.

De acordo com ele, os soteropolitanos já abraçaram a campanha do candidato ACM Neto (DEM).

“Nós todos aqui nesta Casa, de um lado ou de outro, a exceção dos doentes do PT, estamos torcendo pela eleição de ACM Neto em Salvador, não só porque essa cidade merece um choque administrativo. Quem tem estatura pessoal e envergadura política para fazê-lo, neste confronto entre os dois deputados federais, é ACM Neto, que tem demonstrado, inclusive, no Parlamento, na Câmara Federal, a sua competência e desenvoltura”, disse.

Ainda para Targino, a presidente Dilma Rousseff foi muito infeliz ao dizer que seu governo não teria espaço para um político ‘pequenininho’, em referência à baixa estatura física de ACM Neto.

“Acho que na próxima segunda-feira, o deputado ACM Neto, eleito que estará, fará sua primeira manifestação, com um telefonema a presidente Dilma Rouseff, para agradecer a colaboração que ela emprestou quando esteve aqui fazendo um trocadilho, de forma preconceituosa, pouco inteligente e demonstrando falta de sensibilidade política, com o tamanho dele. Se a eleição levasse em conta padrão de tamanho ou beleza, Dilma não teria subido a escadaria do Planalto. De que valeu o tamanho de João Henrique? De que vale o tamanho de Nelson Pelegrino, que não tem luz própria e precisa ficar ‘pongando’ na luz dos outros. Se ACM Neto ganhar, e vai ganhar, será uma vitória heroica. Dos menores frascos exalam as melhores fragrâncias”, concluiu.

Sobre Carlos Augusto 9665 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).