AMBEV investe R$ 804 milhões no Nordeste. Fábrica do Ceará recebe R$ 375 milhões até o final de 2012

Linha de produtos da AMBEV.
Linha de produtos da AMBEV.
Linha de produtos da AMBEV.
Linha de produtos da AMBEV.

Até o final do ano, o investimento da Ambev na região Nordeste vai somar R$ 804 milhões. Esses recursos fazem parte do pacote de R$ 2,5 bilhões que a companhia está investindo em todo país até o final desse ano.

Do total destinado para o Nordeste, R$ 375 milhões estão sendo aplicados no processo produtivo de refrigerante e na implantação do processo de produção de cerveja da fábrica da Ambev no município de Aquiraz, no estado do Ceará. O investimento na Filial Aquiraz resultará na criação de 800 postos de trabalho, entre diretos e indiretos – sendo aproximadamente 500 vagas durante as obras e 300 após a conclusão.

Com a expansão, a nova capacidade de produção anual de bebidas da unidade será de mais de 7 milhões de hectolitros. A área construída passará de 28 mil m² para 74 mil m². Serão implantadas uma unidade de processamento de cerveja, uma nova linha de cerveja retornável de 60 mil garrafas por hora (gph) de 300 ml e 600 ml, uma nova linha de latas com capacidade de 120 mil latas por hora e uma nova linha de PET para envasar 24 mil gph. A Filial Aquiraz passará também a produzir refrigerantes em embalagem PET de 1,5 e 2,5 litros.

O investimento reforça a parceria da Ambev com o Ceará, onde a companhia atua desde 1998, quando a filial Aquiraz foi inaugurada. No estado, a Ambev gera cerca de 47 mil postos de trabalho entre diretos e indiretos na cadeia e, além da fábrica, mantém um centro de distribuição direta em Fortaleza. Em 2010, a Ambev gerou R$ 302 milhões em impostos no Ceará, 24% a mais que no ano anterior, quando foram gerados R$ 245 milhões.

“O Ceará é um importante centro de produção da Ambev porque reúne condições necessárias em termos de infraestrutura para operação e ampliação de uma fábrica. Além disso, o estado é estratégico para a companhia por conta de sua localização especial na região Nordeste”, afirma Marcio Fróes, vice-presidente industrial da Ambev.

O restante do investimento está sendo distribuídos entre as outras oito fábricas e os centros de distribuição da Ambev no Nordeste. Em unidades como Filial Aracajú (SE), Natal (RN), Cabo de Santo Agostinho (PE) e Itapissuma (PE) estão sendo realizadas obras de modernização e otimização de todo o processo produtivo, o que contempla a manutenção e compra de novos equipamentos, aperfeiçoamento do processo logístico, de distribuição e vendas, assim como obras de melhoria nas instalações.  “Grande parte do crescimento econômico do Brasil tem explicação na inserção cada vez maior do Nordeste como um dos motores do desenvolvimento do país. A região vive um momento especial, com importantes avanços e transformações. Para nós da Ambev, é um orgulho muito grande poder contribuir com esse crescimento. Para isso, investiremos cada vez mais na região”, afirma Fróes.

Produtos da AMBEV, indústria é uma das líderes mundiais em bebidas.
Produtos da AMBEV, indústria é uma das líderes mundiais em bebidas.

A expansão no Nordeste

A estratégia da Ambev em expandir sua produção no Nordeste segue a tendência de crescimento de um mercado estratégico, pujante e aquecido. Por isso, desde 2010, a companhia tem destinado grande parte de seus investimentos para sua operação na região, escolhida, por exemplo, para receber uma nova fábrica, a unidade de Itapissuma, em Pernambuco.

Ambev no Nordeste

A Ambev possui 33 unidades de negócio no Nordeste. São novefábricas – Camaçari (BA), Aquiraz (CE), João Pessoa (PB), Cabo de Santo Agostinho (PE), Itapissuma (PE), São Luís (MA), Natal (RN), Aracajú (SE) e Teresina (PI) – e 24 centros de distribuição. A companhia emprega cerca de 6.500 funcionários diretos nos nove estados da região. Considerando toda a cadeia, são 190.000 postos de trabalho. Em 2010, a Ambev gerou R$ 2,4 bilhões em impostos estaduais e federais no Nordeste do Brasil, 26% a mais em relação a 2009, quando foram gerados R$ 1,9 bilhão.

Sobre a Ambev 

Ser a “Melhor Empresa de Bebidas do Mundo em um Mundo Melhor”. Esta é a missão da Ambev, empresa de capital aberto, sediada em São Paulo, no Brasil, com operações em 16 países das Américas (Argentina, Brasil, Bolívia, Canadá, Chile, El Salvador, Equador, Guatemala, Nicarágua, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai, Dominica, Antigua e St. Vincent).

Dona de um portfólio de “estrelas” como Antarctica, Brahma, Bohemia, Budweiser, Skol, Original, Stella Artois; os refrigerantes Guaraná Antarctica, Soda, Pepsi e Sukita; o isotônico Gatorade e o chá Lipton, além das inovações H2OH!, Fusion e Antarctica Citrus, a Ambev é líder no ranking das cervejarias na América Latina.

Reconhecida como uma das melhores empresas para se trabalhar, a Ambev tem em seus funcionários – 30 mil só no Brasil – sua maior fortaleza. Por isso, investe continuamente no desenvolvimento e sucesso de sua Gente, que é incentivada a se sentir dona da companhia e pensar grande.

 Pioneira, a companhia desenvolve o Programa Ambev de Consumo Responsável desde 2003, fazendo campanhas de conscientização sobre o uso indevido do álcool, norteadas pelas premissas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sua reconhecida excelência em gestão gera retorno aos seus acionistas e garante atuação sustentável. No ano de 2011, o volume de vendas da companhia ultrapassou 165 milhões de hectolitros de bebidas e a receita líquida foi de R$ 27,1 bilhões – crescimento de 9,9% em relação ao ano de 2010.

Referência em práticas ambientais, a Ambev lançou em 2010 o Movimento CYAN – Quem vê água enxerga seu valor (www.movimentocyan.com.br), uma ampla iniciativa de mobilização e conscientização da sociedade para o uso racional desse recurso natural. Já em 2011, o Movimento lançou uma ação que interfere diretamente na redução do consumo de água nas residências, é o Banco CYAN, um sistema de descontos em compras online para quem economizar água.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9615 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).