ADAB destrói 700 mudas de citros na Chapada Diamantina

Logomarca do Jornal Grande Bahia
Logomarca do Jornal Grande Bahia

A Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Secretaria da Agricultura (Seagri), destruiu 700 mudas cítricas (tangerina pokan) em municípios da Chapada Diamantina, região de Itaberaba, em razão da falta de comprovação de origem do material no final do mês de outubro. A ação faz parte das atividades de monitoramento da invasão da bactéria “Candidatus Liberibacter sp” e do inseto vetor do Huanglonging (HLB), a mais terrível praga para a citricultura mundial.

Desde janeiro de 2011, a Agência vem desenvolvendo um intenso trabalho de monitoramento das pragas da citricultura na região. Até o momento, foram instaladas 31 armadilhas em diversos municípios da Chapada Diamantina, entre os quais Iaçu, Itaberaba, Wagner, Lençóis e Seabra, colocadas em áreas de plantio de lima ácida tahiti, tangerina pokan e tangerina mexerica, além de áreas com plantio de murtas.

No município de Iaçu os fiscais da Adab realizaram a troca das seis armadilhas distribuídas em áreas estratégicas dos 196,89 hectares de lima ácida tahiti produzidas na maior propriedade local. As pragas encontradas foram: mancha graxa, cochonilha escama farinha, gomose e pulgão. “Na quinzena anterior a armadilha 4.2.5 foi removida em razão de a área onde estava instalada, um pomar improdutivo, ter sido totalmente erradicada, sendo a mesma transferida para a outra quadra vizinha”, explica a coordenadora do Projeto Fitossanitário dos Citros, Suely Brito.

Em Itaberaba, a fiscalização no plantio de citros envolveu a troca das outras seis armadilhas distribuídas em 178,66 hectares de lima ácida tahiti. As pragas encontradas foram: mancha graxa, cochonilha escama farinha, gomose e pulgão. Já no município de Wagner foram trocadas sete armadilhas. “Durante a inspeção constatou-se a presença de plantas ornamentais denominadas murta, localizadas próximo da sede, que foram erradicadas por decisão dos proprietários, face ao risco dessa espécie hospedar a bactéria e inseto vetor do HLB”, acrescenta Suely, lembrando que os fiscais estaduais agropecuários da Adab também realizaram troca de armadilhas em Lençóis e fiscalizaram o plantio de citros em Seabra, totalizando cinco hectares de citros monitorados pela Adab.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110959 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]