Vereador Marialvo Barreto apresenta grave denúncia ao afirmar que candidatos pagam semanalmente a ‘cabos eleitorais’ e que a política ficou “para quem é ladrão, corrupto, ou para quem não tem ética”. Confira debates da CMFS

Na opinião de Marialvo Barreto, a política está ficando reservada “para quem é ladrão, corrupto, para quem não tem ética”, pois “a pessoa de bem, na hora que vai pedir um voto, é questionada sobre o valor que irá disponibilizar pelo apoio”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Na opinião de Marialvo Barreto, a política está ficando reservada “para quem é ladrão, corrupto, para quem não tem ética”, pois “a pessoa de bem, na hora que vai pedir um voto, é questionada sobre o valor que irá disponibilizar pelo apoio”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Na opinião de Marialvo Barreto, a política está ficando reservada “para quem é ladrão, corrupto, para quem não tem ética”, pois “a pessoa de bem, na hora que vai pedir um voto, é questionada sobre o valor que irá disponibilizar pelo apoio”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Na opinião de Marialvo Barreto, a política está ficando reservada “para quem é ladrão, corrupto, para quem não tem ética”, pois “a pessoa de bem, na hora que vai pedir um voto, é questionada sobre o valor que irá disponibilizar pelo apoio”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

Vereador Marialvo Barreto apresenta grave denúncia

Cabos eleitorais estão recebendo remuneração semanal por parte de candidatos à Câmara, em Feira de Santana. A denúncia é do vereador Marialvo Barreto.

Em sua opinião, a política está ficando reservada “para quem é ladrão, corrupto, para quem não tem ética”, pois “a pessoa de bem, na hora que vai pedir um voto, é questionada sobre o valor que irá disponibilizar pelo apoio”.

Sem revelar nomes, Marialvo acrescentou: “tem gente que não consegue 10 votos pedindo R$ 10 mil para apoiar candidato a vereador, querendo mensalão semanal”.

 Segundo ele, há, nesta campanha, “mensalão de apoio  político” de até  R$ 200 mil. “No distrito de Humildes, tem de R$ 50 mil”, assinala.

Para o petista, atualmente, para agradar alguns, é preciso aceitar  corrupção. “Eu não sei me meter em falcatruas. E aí a gente já começa a ter vergonha de ser honesto”.

Ele fundamentou seu discurso com uma  frase de Rui Barbosa: “De tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos maus, o homem chega a rir-se da honra, desanimar-se de justiça e ter vergonha de ser honesto”.

Unidade de saúde do bairro Irmã Dulce permanecerá no prédio da Associação dos Moradores, diz líder governista 

A notícia foi dada pelo líder governista, vereador José Sebastião – Bastinho. Segundo ele, o prefeito Tarcízio Pimenta lhe assegurou que o posto de saúde do bairro Irmã Dulce continuará funcionando no prédio da Associação de Moradores daquela comunidade.

Nos últimos dias, a unidade de saúde foi alvo de vários discursos na Câmara. O vereador Carlito do Peixe, que mora no bairro Irmã Dulce e é representante político da comunidade, denunciou que o posto de saúde foi desativado porque o Governo Municipal, no dia 28 de agosto do ano corrente, demitiu 11 dos 14 funcionários.

Segundo o democrata, os servidores eram pessoas ligadas a ele e a outros vereadores de oposição ao prefeito Tarcízio. Carlito disse, em outro pronunciamento,  que o posto voltou a funcionar de forma parcial, em virtude da falta de  reposição de funcionários.

O vereador Roberto Tourinho, no último dia 4, afirmou que a Prefeitura estaria procurando uma casa para alugar com o objetivo de colocar, “de forma improvisada”, o atendimento do referido posto de saúde.

Ontem, Carlito do Peixe voltou a tocar no assunto, afirmando que a comunidade do Irmã Dulce estava pronta para fazer uma mobilização na porta da Prefeitura, caso o posto de saúde fosse transferido para outro bairro, por exemplo.

“Vereador Carlito do Peixe, o senhor pode ficar tranqüilo, porque tudo permanecerá como antes lá no posto de saúde do Irmã Dulce. Os profissionais já estão lá trabalhando e a comunidade continuará sendo bem tratada. Nada vai acontecer de anormal”, afirmou Bastinho.

O líder governista ressaltou que a unidade de saúde permanecerá no prédio da Associação de Moradores, porque o prefeito entende que não há motivo nenhum para romper o convênio que tem com essa entidade.

Morte de mulher em Jaíba pode ter sido causada por falta de ambulância no distrito

A demora na prestação de socorro pode ter sido a causa da morte de uma jovem residente no distrito de Jaíba, em Feira de Santana. De acordo com o vereador Lulinha, essa é a suspeita da família da vítima, identificada como Michele, de aproximadamente 20 anos.

Ela faleceu na noite de ontem (10/09/2012), após um mal súbito. “Não foi socorrida em tempo hábil”, diz o vereador, com base em informações que chegaram ao seu conhecimento.

Lulinha disse que a família da vítima encontrou dificuldades para prestar o socorro. Relatou que, com muitos esforços, conseguiu um transporte, mas parou no meio do caminho, por falta de combustível.

“Depois de algum tempo, a jovem foi transferida para outro carro, mas foi tarde e a paciente morreu”, lamentou.  Para Lulinha, se a ambulância que serve a Jaíba permanecesse na sede do distrito talvez a jovem não tivesse morrido. Segundo ele, a população daquela localidade está revoltada com o fato.

O vereador informou que no governo do ex-prefeito José Ronaldo cada distrito tinha uma ambulância para dar suporte à população da zona rural, e os motoristas eram moradores locais.

“Hoje, em Jaíba tem dois motoristas, um morador daquele distrito e o outro daqui da sede de Feira de Santana. O que acontece é que quando o daqui da cidade está de plantão, ele traz a ambulância para a casa dele, deixando o distrito desprotegido”, afirmou.

Conforme o vereador, ambulâncias dos distritos são deslocadas para a sede e às vezes os veículos vão até para outras cidades.

Igrejas evangélicas

O vereador disse também que lhe causa estranheza o “alto investimento” de algumas igrejas evangélicas em candidatos a cargos eletivos. Sobre a manipulação de eleitores evangélicos, o petista declarou que há vagas reservadas “no inferno” para os pastores que usam o nome de Deus em vão para ganhar votos.

Projetos sobre moto-taxistas vão ser analisados pelo departamento jurídico da Câmara 

Dezenas de moto-taxistas estiveram na Câmara Municipal na manhã desta terça-feira (11). A expectativa deles era acompanhar a possível votação de projeto de interesse da categoria, em tramitação na Casa. Há dois projetos, na Câmara, que dizem respeito aos moto-taxistas.

Um deles é de autoria do vereador Reinaldo Miranda (Ronny). Atendendo a pedido da própria classe, ele apresentou proposta com o objetivo de garantir vaga permanente para os que se encontram prestando o serviço, sem necessidade de processo licitatório.

O outro, de iniciativa do Poder Executivo, propõe a ampliação da quantidade de vagas – mais 500 moto-taxistas seriam admitidos no sistema – e estabelece a exigência de procedimento licitatório como forma de seleção.

Nenhuma das matérias entrou em pauta. O presidente da Câmara, vereador Ribeiro, informou que ambas serão submetidas ao departamento jurídico da Casa, que deverá emitir parecer sobre qual delas deve prevalecer e continuar tramitando, tendo em vista que tratam de temas semelhantes.

O projeto do vereador recebeu parecer contrário à sua tramitação, pela Comissão de Constituição e Justiça. O entendimento da CCJ é que a Câmara não pode legislar em assunto relacionado à licitação.

A proposta do Poder Executivo foi lida no expediente da sessão de segunda-feira e foi encaminhada para as comissões competentes da Casa, que devem ainda exarar parecer sobre sua constitucionalidade.

Vereador diz que deverá apresentar emenda a projeto do Executivo sobre moto-táxis 

O projeto de autoria do Poder Executivo que amplia o número de vagas  dos moto-taxistas  e determina a realização de processo licitatório para a setor não contempla as reivindicações da categoria. Esse é o entendimento do vereador Ronny.

Autor de outro projeto sobre o assunto, ele diz que não foi este o compromisso que teria sido anunciado na semana passada, quando houve adiamento da matéria de sua autoria.

“A vice-líder Eremita Mota tinha conversado com o prefeito e ficou o compromisso de que fosse apresentado um projeto pelo Executivo igual ao de minha autoria, garantindo aos mototaxistas a concessão pelas 500 vagas já existentes; não haveria mais necessidade de licitação no setor”.

Segundo ele, o projeto do prefeito causa insatisfação à categoria. Ele pretende apresentar uma emenda para garantir as 500 vagas já existentes independente de futuras licitações.

Ronny esclarece que o projeto que ele apresentou ao Legislativo, atendendo a reivindicação dos moto-taxistas, continua em tramitação. “Não retirei a matéria. Apenas houve adiamento por uma sessão”, explicou.

Sobre Carlos Augusto 9709 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).