Em Salvador, Bairro da Paz conta com Base Comunitária de Segurança provisória até instalação do equipamento definitivo

Bairro da Paz conta com Base Comunitária de Segurança provisória até instalação do equipamento definitivo.Bairro da Paz conta com Base Comunitária de Segurança provisória até instalação do equipamento definitivo.


O processo de implantação das Bases Comunitárias de Segurança será agilizado com a instalação de módulos habitáveis, equipados e adaptados para a função, em locais onde forem necessárias grandes intervenções de construção e reforma de prédio, até que sejam concluídas as obras. Módulos semelhantes a esses já são usados no carnaval, para o funcionamento dos postos de saúde.

Uma unidade piloto está sendo deslocada para o Bairro da Paz e será inaugurada, nesta quinta-feira (13/09/2012), pelo governador Jaques Wagner. A estrutura foi inspecionada, quinta-feira passada (06/09/2012), por representantes da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e da Polícia Militar. Com 70 metros quadrados, o módulo é totalmente climatizado e dispõe de sanitários masculino e feminino.

A base provisória vai funcionar exatamente como a definitiva, com toda a estrutura operacional de 120 policiais, radiopatrulhamento com quatro viaturas e motos, sistema de câmeras e informática, além de realizar trabalhos sociais em parceria com outras Secretarias de Estado. Ela será implantada próxima ao local onde ficará a fixa, para que a comunidade já se acostume com o ponto de referência do contato com a Polícia Militar.

A iniciativa vai adiantar em até três meses o processo de implantação dos equipamentos, fundamentais para a execução do Programa Pacto pela Vida, de acordo com o coordenador estadual de Polícias Comunitárias, coronel Zeliomar Volta. “É uma antecipação diante da burocracia que a licitação nos impõe para as obras da base fixa”, destacou o coronel.

O coronel disse que o processo que antecede a implantação da base provisória é o mesmo da base fixa. “No Bairro da Paz, nós já fizemos a operação de intervenção, com prisões, apreensão de armamentos e drogas. Estamos na fase que chamamos de estabilização, para depois implantarmos o policiamento comunitário”, relatou.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).