Eleições 2012 em Salvador | Pesquisa do IBOPE aponta 34 por cento de intenção de votos para Nelson Pelegrino, enquanto ACM Neto pontua com 31 por cento

Eleições 2012 em Salvador – Pesquisa IBOPE divulgada em 27 de setembro
Eleições 2012 em Salvador – Pesquisa IBOPE divulgada em 27 de setembro
Eleições 2012 em Salvador – Pesquisa IBOPE divulgada em 27 de setembro
Eleições 2012 em Salvador – Pesquisa IBOPE, divulgada em 27 de setembro

A terceira pesquisa de intenção de voto IBOPE Inteligência/TV Bahia sobre a intenção de voto na cidade de Salvador, mostra diminuição da vantagem entre o primeiro colocado, ACM Neto (DEM) e Pelegrino, do PT. O democrata oscila negativamente um ponto na margem de erro em comparação à última pesquisa, tendo hoje 39% das intenções de voto. Pelegrino, antes com 16% das citações, tem agora 27%. Em patamar inferior estão Mario Kertesz (PMDB) com 6% e Márcio Marinho (PRB) com 3% das menções. Halmilton Assis, do PSOL, que não pontuou nas últimas pesquisas, tem hoje 2%, enquanto o candidato do PRTB, Da Luz, é mencionado por 1% dos eleitores. Aqueles que pretendem votar em branco ou anular o voto somam 13%. Outros 8% dizem estar indecisos ou optam por não responder a pergunta.

Período de campo: De 10 e 12 de setembro de 2012

Tamanho da amostra: 602 eleitores

Margem de erro: 4 pontos percentuais, considerando um grau de confiança de 95%

Solicitante: TV BAHIA LTDA.

Registro: Tribunal Regional Eleitoral da Bahia sob protocolo nº BA-00142/2012

Data de Publicação: 13/09/2012

​Destaque por segmentos

Observando-se os diferentes grupos de eleitores, nota-se que ACM Neto é mencionado por 56% dos eleitores com renda superior a 5 salários mínimos, contra 39% no total, como já visto anteriormente. Ainda é possível notar uma maior citação ao democrata entre aqueles com idade entre 40 e 49 anos (43%) – um incremento de 6 pontos percentuais em comparação à pesquisa anterior. Nota-se também que a intenção de voto de ACM Neto entre os mais jovens permanece praticamente inalterada – antes com 47% entre aqueles com idade entre 16 a 24 anos, tem hoje 46% na preferência deste público.

Já Pelegrino tem um melhor desempenho em relação à rodada passada entre os eleitores com renda entre 1 e 2 salários mínimos, com 32% das citações, e também entre aqueles de 25 a 29 anos (35%). Entre os eleitores mais velhos (acima de 50 anos), embora não tenha tido um desempenho tão diferente em comparação ao total de eleitores, sua intenção de voto cresce 21 pontos percentuais, passando de 9% a 30% das citações neste grupo.

Espontânea

Quando perguntados sobre em quem vão votar, sem a apresentação de disco com os nomes dos postulantes, ACM Neto é mencionado espontaneamente por 34% dos eleitores. Citado por 12% na última pesquisa, Pelegrino recebe hoje 23% de intenção de voto nesta modalidade de pergunta. Em patamar inferior, e numericamente muito próximos, aparecem Mario Kertesz (5%), Márcio Marinho (3%), Hamilton de Assis (2%) e Da Luz (1%). Outros 17% pretendem anular o voto ou votar em branco, enquanto os indecisos ou aqueles que não respondem a pergunta, que já foram 37% na primeira medição, totalizam 15% nesta terceira pesquisa.

Segundo turno

Na hipótese de um segundo turno entre ACM Neto e Pelegrino, o candidato do DEM tem 43% de preferência dos eleitores, contra 33% de Pelegrino. Aqueles que pretendem votar em branco ou anular o voto são 17%, contra 7% que não sabem ou não respondem a pergunta.

Expectativa de vitória

O IBOPE Inteligência também questionou os eleitores sobre quem eles acreditam que vencerá a disputa, independente do voto declarado. Para 57% dos eleitores, ACM Neto será vencedor do pleito, enquanto 21% deles creditam a vitória a Pelegrino. Mario Kertesz é mencionado por 2%, enquanto 1% dizem que o vencedor será Márcio Marinho. Da Luz e Hamilton Assis, embora citados, não atingem 1%. Outros 17% não sabem dizer quem vencerá a disputa, ou não respondem a pergunta.

Rejeição

Questionados sobre quais candidatos não votariam de jeito nenhum, Da Luz é o mais citado, por 36% dos eleitores. ACM Neto e Pelegrino atingem, cada um, 29% de índice de rejeição. Mario Kertesz é preterido por 25% dos respondentes e Hamilton de Assis e Márcio Marinho têm, respectivamente, 21% e 20% nesta pergunta. Outros 5% dos eleitores dizem que poderiam votar em todos, enquanto 7% não sabem ou não respondem a questão.

Avaliação da administração municipal

A administração do atual Prefeito, João Henrique, é avaliada como ruim/péssima por 72% dos eleitores de Salvador. Outros 23% avaliam-na como regular, enquanto 4% dizem que sua administração é ótima/boa. Somente 1% dos eleitores não sabem avaliar ou não respondem a pergunta. Aqueles que desaprovam a maneira como João Henrique vem administrando a cidade são 87%, contra 9% que aprovam. Outros 3% não sabem ou não respondem a questão.

Para 65% dos eleitores de Salvador, Saúde é a área mais problemática do município. Educação e Segurança Pública são mencionados, cada um, por quase metade dos respondentes (51%).

Avaliação das administrações estadual e federal

A administração do Governador Jaques Vagner é considerada ruim/péssima por 38% dos respondentes e regular por 45% deles. Outros 15% avaliam como ótima/boa, enquanto 2% não sabem ou não respondem.

Já a administração da Presidente Dilma Rousseff é considerada regular por 44% dos eleitores, versus 40% de avaliação ótima/boa. Outros 15% avaliam-na como ruim/péssima , enquanto 2% não sabem avaliar ou preferem não responder.

Saiba +

Confira o relatório integral da pesquisa realizada pelo IBOPE, acessando o link abaixo.

Eleições 2012 em Salvador – Pesquisa IBOPE, divulgada em 27 de setembro

Sobre Carlos Augusto 9455 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).