Vereador pelo PT feirense, Marialvo Barreto critica governo Wagner afirmando sobre a negociação da greve dos professores: “É difícil entender erros do governo”

“Para mim, é difícil entender os erros cometidos dentro do meu Governo na condução da greve dos professores”, afirmou Marialvo Barreto. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
“Para mim, é difícil entender os erros cometidos dentro do meu Governo na condução da greve dos professores”, afirmou Marialvo Barreto. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
“Para mim, é difícil entender os erros cometidos dentro do meu Governo na condução da greve dos professores”, afirmou Marialvo Barreto. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
“Para mim, é difícil entender os erros cometidos dentro do meu Governo na condução da greve dos professores”, afirmou Marialvo Barreto. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

O vereador Marialvo Barreto voltou a manifestar, na sessão desta segunda-feira (01/07/2012) da Câmara, contrariedade com a forma como o governo baiano vem tratando a greve dos professores da rede estadual, que já está próximo de completar três meses e meio.

Segundo o vereador, o Governo do Estado não quer pagar os 22.22% de aumento, previsto no Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), para todos os níveis, definido em âmbito federal pela Lei 11.738/08. Ele disse que  por conta disso a paralisação dos docentes da rede estadual de ensino já dura 112 dias.

“Para mim, é difícil entender os erros cometidos dentro do meu Governo na condução da greve dos professores”, afirmou. Em sua opinião, o secretário estadual de Educação, Osvaldo Barreto Filho, não teve habilidade para conter a greve.

O petista declarou que é solidário aos professores grevistas, “por essa garra, por essa força que estão tendo para fazer valer na Bahia o direito de uma resolução federal”.

Marialvo ressaltou que, ao contrário do Governo do Estado, várias Prefeituras baianas deram aumento aos professores com base no Piso Salarial Profissional Nacional.

“Quero dizer da minha tristeza de começar o semestre legislativo sem ter uma solução definitiva para a greve dos professores”, declarou.

 

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9307 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).