José Carlos Aleluia afirma que o governador Jaques Wagner desafia Judiciário ao reeditar propaganda ilegal

José Carlos Aleluia afirma que o governador Jaques Wagner desafia Judiciário ao reeditar propaganda ilegal.
José Carlos Aleluia afirma que o governador Jaques Wagner desafia Judiciário ao reeditar propaganda ilegal.
José Carlos Aleluia afirma que o governador Jaques Wagner desafia Judiciário ao reeditar propaganda ilegal.
José Carlos Aleluia afirma que o governador Jaques Wagner desafia Judiciário ao reeditar propaganda ilegal.

“O governador Jaques Wagner mais uma vez desafia a Justiça ao burlar a determinação judicial que proibiu a propaganda governamental para favorecer o seu candidato à prefeitura de Salvador, Nelson Pelegrino, reeditando a campanha publicitária ilegal com a troca apenas do slogan ‘É de Salvador. É de Todos Nós’ por ‘É o Governo em nossa Salvador’”, denuncia o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia.

Segundo Aleluia, a assessoria jurídica da coligação “É Hora de Defender Salvador” (DEM/PSDB/PPS/PV/PTN), que apóia o candidato ACM Neto, está acionando novamente a Justiça Eleitoral para coibir a reincidência da ilegalidade e preservar a igualdade de condições entre os postulantes à prefeitura de Salvador. Para o advogado Ademir Ismerim, na reedição da campanha publicitária já julgada ilegal é evidente a fraude à determinação judicial.

Na semana passada, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgou o mérito da ação do Democratas que denunciava a ilegalidade da propaganda do governo com teor subliminar de apoio ao correligionário do governador Jaques Wagner. A decisão da Justiça foi a suspensão e retirada imediata da campanha de todo e qualquer tipo de mídia. “Num verdadeiro descaso com a determinação judicial e à inteligência do povo da Bahia, o governo trocou seis por meia dúzia e botou de novo a campanha na rua”, comenta o presidente democrata.

Para Aleluia, desrespeitar sentenças do Poder Judiciário não é novidade no governo de Jaques Wagner. “Mesmo com o direito assegurado na Justiça, os servidores estaduais penaram anos para o governador Jaques Wagner cumprir a decisão judicial que proibiu a inconstitucional exclusividade do Banco do Brasil na concessão de empréstimo consignado ao funcionalismo público”, lembra.

Na avaliação do líder oposicionista, no caso da propaganda ilegal feita para favorecer o correligionário que disputa a prefeitura de Salvador, Wagner dá ainda demonstração de total falta de responsabilidade com o uso do dinheiro público. “Ele desperdiça vultosa quantia na produção e veiculação de propaganda ilegal. Mais uma vez quem vai pagar a conta é o povo baiano, que, no governo Wagner, vê o dinheiro que paga em impostos ser jogado fora, enquanto a educação, a saúde e a segurança pública vivem em completo caos”.

Sobre Carlos Augusto 9517 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).