Governo intensifica operação Bahia sem Fogo nas regiões do Oeste e Chapada Diamantina

Governo intensifica operação Bahia sem Fogo nas regiões do Oeste e Chapada Diamantina.(Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Governo intensifica operação Bahia sem Fogo nas regiões do Oeste e Chapada Diamantina. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Governo intensifica operação Bahia sem Fogo nas regiões do Oeste e Chapada Diamantina.(Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Governo intensifica operação Bahia sem Fogo nas regiões do Oeste e Chapada Diamantina. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

Marcados pela baixa umidade do ar e clima quente e seco, os meses de agosto a dezembro, registram nas regiões do Oeste e Chapada Diamantina um aumento nos focos de calor e a propagação de incêndios florestais. Para reduzir as queimadas nestas áreas, o Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), já encaminhou a estas regiões equipes de fiscalização preventiva que darão continuidade as operações do Bahia sem Fogo. Esse projeto é coordenado pela Sema, através do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Para o secretário do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, as ações de combate a incêndios florestais ganharão um novo reforço. “Está em processo de finalização a contratação de um helicóptero que auxiliará as equipes, tanto no deslocamento de pessoal quanto na identificação de focos de fogo. Também serão adquiridos novos equipamentos de combate a incêndios, totalizando investimento de mais de 800 mil reais”, frisou.

Segundo a diretora geral do Inema, Márcia Telles, o trabalho de fiscalização desenvolvido, em campo, pelas equipes tem caráter preventivo. “Consiste na sensibilização e monitoramento ambiental. Orienta a população sobre como evitar incêndios e busca popularizar os números de contato para denúncias de queimadas”, destacou. O cidadão pode fazer denúncias de incêndios florestais através dos números 193, do Corpo de Bombeiros, ou 08000 71 1400, do Inema.

As regiões da Chapada Diamantina e do Oeste estão sendo cobertas pela fiscalização preventiva. A ação consiste na presença de fiscais em campo, orientando produtores rurais a não utilizar o fogo em suas propriedades e notificando as irregularidades ambientais. Quando necessário, o órgão autua os produtores que descumprem a norma.

A Diretora de Fiscalização do Inema, Lúcia Carvalho, disse que estão previstas cerca de dez etapas para todo o trabalho que será realizado em campo nas duas regiões. “As equipes começaram as atividades, simultaneamente, nas regiões Oeste e Chapada Diamantina, com o trabalho de fiscalização e educação ambiental”, pontuou.

Monitoramento – O coordenador de monitoramento do Inema, Eduardo Topázio, esclareceu que o acompanhamento destas áreas é feito, diariamente, pelos técnicos, através de imagens de satélite.  As informações sobre os focos de calor e o aumento das temperaturas nessas regiões são passadas às equipes que estão em campo. “O uso das imagens de satélite proporciona o monitoramento dos pontos de calor que podem originar incêndios, favorecendo a prevenção”, esclareceu.

Para o monitoramento dessas áreas, os técnicos usam o Sigweb-I3 geo, desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), que funciona como uma ferramenta de localização geográfica.

Capacitação – A Sema, por meio da Operação Bahia sem Fogo, capacitou mais de 200 brigadistas para o trabalho de combate aos incêndios florestais, em 12 municípios da região Oeste, Chapada Diamantina e Semiárido. O curso teve carga horária de 40h, foi concluído no último mês de julho, e priorizou líderes, moradores e sindicalistas das regiões onde são registrados os maiores índices de incêndio.

Sobre Carlos Augusto 9706 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).