Em busca do saber mais

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
O Legado

Os jovens atuais, ao contrário do que se pensa, estão em uma corrida frenética em busca do “saber mais”. Este “fenômeno” está proporcionando a construção de um novo saber mais objetivo e eficiente, principalmente através da troca de conhecimentos entre os acadêmicos e, quando em período de estágio, com os mais experientes – Geração “X” – já atuando no mercado de trabalho, inclusive proporcionando uma troca bilateral, ou seja: acadêmico x empresa, empresa x acadêmico. Tudo isto em razão das facilidades existentes, que permitem se cursar uma Faculdade; facilidades estas, que ocorreram principalmente com o advento da TI e da Internet, que deram lugar ao Ensino a Distância – EAD.

Esta visão global, que está sendo vivenciada pelos novos acadêmicos, amplia os aspectos de sua área de atuação lhes deixando melhor capacitados e, por sua vez, possibilitando melhor aproveitamento no mercado de trabalho. Na busca por uma situação, os profissionais otimizados está sempre na mira dos headhunters que trabalham como recrutadores para as grandes empresas.

Todos estes fatores possibilitam ao “novo jovem” – Geração “Y” – trazer o seu cotidiano para a sala de aula com o objetivo de conseguir aprimorar e/ou solucionar os problemas e conseguir, para os que estão na busca do seu aprimoramento cultural, não somente se capacitar, mas, de forma mais categórica, aprender a lidar com as incertezas causadas pelos obstáculos que a vida sempre lhes oferece.

Através destas hipóteses o “analfabeto funcional” – aquele que lê e não entende o que leu – está cada vez mais perdendo espaço neste meio de troca, onde o conhecimento que ocorre, basicamente através das facilidades, que o mundo globalizado, o mundo informatizado, proporciona não só aos acadêmicos, mas a sociedade como um todo, possibilita a construção de um novo saber. Este por sua vez, facilita a percepção das pessoas quanto e como melhor fazer uma leitura, ler e compreender um texto, diminuído desta forma, o alto índice de resiliência em grande parte do País, quebrando os antigos paradigmas sociais

Contrapondo a todos estes argumentos nós, brasileiros, gostamos muito de dicotimizar, dividindo a sociedade em grupos. Criamos cotas para: afrodescendentes, silvícolas, deficientes físicos, enquanto ao contrário desta atitude, deveríamos lutar por um ensino público de qualidade. Pagamos impostos e não vemos o retorno que deveria ser agregado a este em forma de benefícios para a sociedade.

O Brasil não pode ser um país rico em flora, fauna, minerais, economia, tecnologia e pobre em conhecimentos. É fundamental promover as universidades e incentivar as pessoas a se capacitarem, transformando o Brasil em detentor do conhecimento. Também é necessário que se compreenda que o início da educação é atribuição dos pais. A escola é só um complemento informativo, portanto o início de tudo advém do seio familiar. É fundamental promover mudanças nos velhos moldes da educação, quebrando os não menos velhos paradigmas, criando condições para que toda população brasileira possa ter acesso ao conhecimento e educação, necessários ao desenvolvimento deste País.

Sobre Alberto Peixoto 488 Artigos
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.