Deputado estadual Luciano Simões ironiza e chama governador Wagner de “Zeca Pagodinho”

"O governo está pior do que antes. A greve já passando do seu centésimo dia, e o governador no seu estilo Zeca Pagodinho, joga para um lado, para o outro, passa sua responsabilidade para o Ministério Público, ao Poder Judiciário, ao Legislativo, e não se posiciona quanto a proposta dos docentes baianos", disparou Luciano Simões.
"O governo está pior do que antes. A greve já passando do seu centésimo dia, e o governador no seu estilo Zeca Pagodinho, joga para um lado, para o outro, passa sua responsabilidade para o Ministério Público, ao Poder Judiciário, ao Legislativo, e não se posiciona quanto a proposta dos docentes baianos", disparou Luciano Simões.
"O governo está pior do que antes. A greve já passando do seu centésimo dia, e o governador no seu estilo Zeca Pagodinho, joga para um lado, para o outro, passa sua responsabilidade para o Ministério Público, ao Poder Judiciário, ao Legislativo, e não se posiciona quanto a proposta dos docentes baianos", disparou Luciano Simões.
"O governo está pior do que antes. A greve já passando do seu centésimo dia, e o governador no seu estilo Zeca Pagodinho, joga para um lado, para o outro, passa sua responsabilidade para o Ministério Público, ao Poder Judiciário, ao Legislativo, e não se posiciona quanto a proposta dos docentes baianos", disparou Luciano Simões.

Após recesso de 30 dias, a Assembleia Legislativa retomou os trabalhos na tarde desta quarta-feira (01/07/2012). A sessão solene de abertura foi marcada por críticas ao Governo do Estado pela intolerância na resolução greve dos professores, que já dura mais de 100 dias. O líder do PMDB/DEM na Casa, deputado Luciano Simões, endossou as alfinetadas ao governador Jaques Wagner e lamentou a situação de caos que se encontra a educação na Bahia.

“O governo está pior do que antes. A greve já passando do seu centésimo dia, e o governador no seu estilo Zeca Pagodinho, joga para um lado, para o outro, passa sua responsabilidade para o Ministério Público, ao Poder Judiciário, ao Legislativo, e não se posiciona quanto a proposta dos docentes baianos”, disparou.

O parlamentar também criticou os novos índices de violência na Bahia que, em números absolutos, foi o Estado que mais teve crianças e adolescentes assassinados em 2010. Além disso, a Bahia também tem o maior número de municípios violentos para os jovens brasileiros. Das 13 cidades do país com maiores taxas de crianças e adolescentes assassinados em 2010, oito – inclusive a capital, Salvador – ficam no Estado.

“Os números do primeiro semestre deste ano são estarrecessedores. Somente no mês de junho, foram registrados 716 carros roubados e furtados em Salvador e Região Metropolitana. A Bahia mais uma vez é página de todos os jornais do Brasil como o primeiro no ranking de violência”, revelou Simões.

 

Sobre Carlos Augusto 9512 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).