Com orçamento de R$ 155 milhões, Grupo Boticário inicia construção do centro de distribuição em São Gonçalo dos Campos

Vista aérea de São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea de São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea de São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Vista aérea de São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)

Dono da maior rede de franquias do país e um dos maiores grupos na área de perfumaria e cosméticos, o Grupo Boticário vai iniciar este mês a construção da sua fábrica no Polo Industrial de Camaçari, a 45 quilômetros de Salvador.

Além da unidade de Camaçari, está prevista também para este mês a construção do centro de distribuição da empresa em São Gonçalo dos Campos, município localizado Região Metropolitana de Feira de Santana.

O investimento é de R$ 535 milhões, sendo que a fábrica receberá R$ 380 milhões e o CD R$ 155 milhões. As obras devem criar cerca de 1 mil postos de trabalho temporários.

O início da operação dos empreendimentos está previsto para o segundo semestre de 2013 e vão gerar aproximadamente 700 empregos diretos e 100 indiretos.

No pacote de investimentos previstos pela empresa, a planta de São José dos Pinhais (PR), sede do grupo, receberá melhorias na fábrica, depósitos e equipamentos logísticos, além da construção de um centro de pesquisa e inovação. Ao todo, nas unidades da Bahia e do Paraná, serão investidos R$ 650 milhões.

Rota de investimentos

“As obras de terraplanagem da fábrica em Camaçari estão concluídas. O anúncio do início das obras da fábrica e do CD, em São Gonçalo dos Campos, coloca a Bahia, definitivamente, na rota dos grandes investimentos das empresas que buscam o mercado do Nordeste”, disse o secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia.

Segundo ele, a Bahia está muito bem localizada entre o Nordeste e o Sudeste e o estado tem investindo pesado em infraestrutura. “Continuamos atraindo bons investimentos, com previsão de inversões, até 2016, de cerca de R$ 90 milhões”, comemorou.

A fábrica e o CD na Bahia – junto com a ampliação da unidade do Paraná – vão fortalecer o grupo, aumentando o atendimento em todo o Brasil com as marcas O Boticário, Eudora e quem disse, berenice?.

Localização estratégica 

“Teremos mais rapidez e eficiência em toda operação. Estamos ampliando nossos negócios e consolidando cada vez mais o Grupo Boticário como uma organização multinegócios do segmento de beleza. Queremos também contribuir de forma relevante para o desenvolvimento da indústria nacional e da economia do país”, explica o presidente do Grupo Boticário, Artur Grynbaum.

De acordo com Grynbaum, a escolha da Bahia deveu-se à sua localização  estratégica para escoamento dos produtos das marcas O Boticário, Eudora e quem disse, berenice? para os estados das regiões Norte e Nordeste. “A escolha está embasada nas análises de logística feitas por nós. Também decidimos por esse investimento porque acreditamos no crescimento da região Nordeste e no aquecimento da economia do País”, acrescentou.

Última geração

Em setembro de 2011, o presidente do Grupo Boticário e o governador Jaques Wagner assinaram protocolo de intenções para instalação das unidades fabril e logística no estado.

A fábrica de Camaçari será construída em terreno de 176 mil m2 no km 13 da Via Parafuso. A planta receberá equipamentos automatizados de última geração.

A unidade baiana terá condições de produzir até 150 milhões de itens/ano, em diversas linhas de perfumaria e de cuidados pessoais (cremes, loções, shampoos), com capacidade de armazenagem de até 82.800 posições-pallet, o que corresponde a média de 122 milhões de produtos acabados.

Um equipamento autoportante, com 41 metros de altura e capacidade para transportar centenas de pallets por hora, fará o trabalho automatizado de transporte e organização dos conjuntos de caixas com produtos entre as imensas prateleiras.

CD em São Gonçalo dos Campos

Já o CD em São Gonçalo dos Campos terá área construída de 25.000 m2 e contará com equipamentos de última geração, como um transelevador para movimentação e armazenamento dos pallets de forma automatizada. Inicialmente, o CD terá capacidade para separar 42.300 peças/hora e expedir até 1.200 caixas/hora.

Paraná – Em São José dos Pinhais (PR) serão investidos R$ 115 milhões, sendo R$ 85 milhões na ampliação dos ativos industriais e R$ 30 milhões no centro de pesquisa e inovação. A fábrica será ampliada em 12 mil m2. A capacidade de produção de maquiagem será duplicada, chegando a 75 milhões de itens/ano.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9738 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).