Presidente Dilma Rousseff lança pedra fundamental do Estaleiro Enseada do Paraguaçu, em Maragogipe

Distrito de Maragogipe, São Roque do Paraguaçu sedia estaleiro que gera cerca de quatro mil empregos diretos.
Distrito de Maragogipe, São Roque do Paraguaçu sedia estaleiro que gera cerca de quatro mil empregos diretos.
Distrito de Maragogipe, São Roque do Paraguaçu sedia estaleiro que gera cerca de quatro mil empregos diretos.
Distrito de Maragogipe, São Roque do Paraguaçu sedia estaleiro que gera cerca de quatro mil empregos diretos.

A presidente da República, Dilma Rousseff, estará na Bahia nesta sexta-feira (13/07/2012), às 10h, para participar do lançamento da pedra fundamental da obra do Estaleiro Enseada do Paraguaçu, em Maragogipe, a 133 quilômetros de Salvador. Em seguida, ela participará da cerimônia de lançamento da plataforma P-59, da Petrobras, na mesma região.

Voltado para construção e integração de unidades offshore, como plataformas, navios especializados e unidades de perfuração, o Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP) será construído com investimento de R$ 2 bilhões, a partir de um consórcio formado pelas empresas baianas Odebrecht e OAS, a carioca UTC e a japonesa Kawasaki. O empreendimento, que deve iniciar suas operações em 2014, está localizado na Foz do Rio Paraguaçu, no município de Maragojipe. Considerado um dos maiores do setor no país, o estaleiro ocupará uma área de cerca de 1,6 milhão de metros quadrados, dos quais 400 mil serão destinados à preservação ambiental.

Plataforma P-59 será batizada na Bahia

A Petrobras batiza nesta sexta-feira (13/7) a plataforma P-59, no canteiro de São Roque do Paraguaçu, em Maragogipe (BA). A cerimônia, que acontece a partir das 11h, contará com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, do governador da Bahia, Jaques Wagner, e da presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster.

A P-59 é uma plataforma de perfuração autoelevatória e será alocada primeiramente no poço exploratório Peroá Profundo, localizado no campo de Peroá, na costa do Espírito Santo. Poderá operar em locais onde a profundidade de água varia de 10 a 106 metros, com capacidade de perfurar poços de até 9.144 metros de comprimento, em condições de alta pressão e temperatura.

A Petrobras investiu cerca de US$ 360 milhões na construção da plataforma, projetada para atender aos cronogramas operacionais de exploração e produção da Companhia nos próximos anos e dar suporte à eventual estratégia de incorporação de novos blocos exploratórios em águas rasas, dependente ainda de leilões da ANP.

A plataforma

A P-59 é composta por um casco flutuante que pesa cerca de 11 mil toneladas, com três pernas retráteis independentes de 145 metros de altura cada e que podem movimentar-se para cima e para baixo por meio de sistema elevatório próprio (jack up). Será posicionada nas locações por rebocadores e as pernas serão apoiadas no leito marinho. Depois de fixada, a unidade permanece acima do nível da água, deixando o casco e os equipamentos de perfuração longe da movimentação das ondas do mar.

Os equipamentos de perfuração da P-59 serão montados no convés de perfuração, numa estrutura móvel retrátil que pode ser estendida para fora da plataforma. Isso permite o movimento da torre de perfuração tanto no sentido longitudinal como no transversal. Permite, também, a perfuração de um conjunto de poços sem que seja necessário realocar a plataforma.

A construção

A P-59 foi construída no canteiro de São Roque do Paraguaçu, de propriedade da Petrobras, onde também está em construção a P-60, unidade idêntica a ela, que deve ser concluída até agosto. Os contratos de construção das duas plataformas foram assinados em setembro de 2008 com o Consórcio Rio Paraguaçu. As unidades fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal.

As obras geraram cerca 2.100 empregos diretos no pico da construção, dos quais 50% vindos do Recôncavo Baiano, 25% de São Roque, 15% de outros locais da Bahia e 10% de outros estados. A conclusão da P-59 é um importante marco para indústria naval brasileira e representa a retomada da produção nacional deste tipo de plataforma, já que há quase 30 anos não eram construídas, no País, unidades autoelevatórias similares.

Especificações Técnicas da P-59:

– Dimensões do casco (compr. x larg. x alt.): 74,1 m x 62,8 m x 7,9 m
–  Acomodações: 110 pessoas
– Peso total da unidade: 11.000 toneladas
– Comprimento de perfuração: 9.144 m
– Profundidade de água no local de operação: 10 a 106 m
– Pernas e sapatas da unidade: 3 pernas com 145 m de altura cada e sapatas com 14 m de diâmetro
– Sistema de elevação: movido por 5 motores elétricos em cada vértice da perna
– Torre de Perfuração (compr. x larg. x alt.): 11 m x 11 m x 52 m

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9979 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).