Higienização especial e cuidados no Matadouro garantem qualidade da carne para o consumo humano, em Feira de Santana

Logomarca do Jornal Grande Bahia
Logomarca do Jornal Grande Bahia

Os cuidados com a higienização são predominantes no Complexo Matadouro Campo do Gado. A medida visa garantir qualidade à carne dos animais abatidos no local, prevenindo qualquer tipo de contaminação e risco à saúde da população que irá consumir o alimento. O trabalho de higienização é executado por uma equipe de profissionais capacitados.

De acordo com a engenheira de alimentos e responsável pelo controle de qualidade no Matadouro, Thiara Nobre, no processo de abate de um animal, como o boi, por exemplo, são gastos 1 mil litros de água.“Esta medida é para assegurar que a carne será transportada sem nenhum tipo de contaminação. A higiene é bastante cobrada e fiscalizada no processo de abate de animais. A nossa equipe passou por um árduo treinamento para esta prática realizado em Salvador”, explica.

Quando são entregues para o abate, todos os animais são carimbados para assegurar que a carne seja devolvida aos seus respectivos proprietários. Os animais são encaminhados para o abatedouro somente após 24 horas da chegada.

“Esse tempo é dado para que haja o descanso e a dieta hídrica, que são respectivamente a transformação de músculo em carne e a eliminação da comida que ainda encontra-se presente no animal”, explica a engenheira responsável pelo controle de qualidade. De acordo com dados divulgados pela direção do Complexo Matadouro, no mês de junho foram abatidos cerca de 4.500 bois e aproximadamente 400 suínos.

Além da atenção especial dedicada à limpeza do equipamento e boa qualidade da carne, como informa a engenheira de alimentos, os profissionais estão atentos também à proteção dos animais para que não sofram maus tratos. Os animais passam por inspeção expedida pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab).

A Feira do Gado acontece sempre às segundas-feiras. No Complexo, que é conhecido como um dos maiores entrepostos de comércio de animais do Norte/Nordeste, também são comercializados artefatos em couro, comida regional, artesanato, equipamentos de montaria, dentre outros.

MAC abre programação de aniversário

Com uma aula diferenciada, o Museu de Arte Contemporânea (MAC) deu início na quarta-feira (11/07/2012), à programação de aniversário dos 16 anos do equipamento. A aula espetáculo foi conduzida pelo artista Franklin Maxado e teve como convidados o contador de causos Júlio Rodrigues e o xilógrafo Julivaldo da Silva.

Estudantes da Escola Criativa acompanharam a conferência como uma verdadeira aula de campo. Segundo a diretora da instituição de ensino, Viviane Araújo, é sempre interessante que sejam feitas visitas a museus. “Nós também buscamos valorizar a cultura nordestina, não deixando que as nossas raízes morram” explica a diretora, lembrando que a literatura de cordel é conteúdo das disciplinas de literatura, artes, língua portuguesa e redação.

Franklin Maxado, que possui xilogravuras e folhetos expostos no museu até o próximo dia 20, iniciou a conversa com os alunos questionando o que seria o cordel para eles e, em seguida, explicando que o folheto é portador de vocabulário simples, para o consumo fácil, servindo principalmente como entretenimento. “A feira livre de Feira de Santana foi uma das minhas grandes escolas, onde havia cordelistas e repentistas disseminando os seus trabalhos” comenta.

O contador de causos Júlio Rodrigues, conhecido como Seu Júlio, parabenizou a iniciativa e lembrou as músicas do carioca Cartola, cantando “As rosas não falam”, e comentou: “Para mim, a música de verdade precisa de letra, canção e melodia, diferente daquilo que costumamos ver hoje em dia”.

Declamando os versos de “O jogador na Igreja”, o xilógrafo Julivaldo da Silva lembrou aos espectadores que o Cordel é um importante meio de combate ao analfabetismo. “O cordel é um veículo de comunicação simples e de diversão que envolve a arte e a cultura nordestina em sua raiz” explica.

A última edição das aulas espetáculo acontece na próxima quarta-feira, 18, às 15 horas no MAC. Já a exposição de Franklin Maxado será encerrada no dia 20. A exposição é uma prévia do que o cordelista e escritor irá expor na 5º Feira do Livro, prevista para o mês de agosto.

O Museu de Arte Contemporânea (MAC) fica situado na Rua Germiniano Costa, 255, Kalilândia. Mais informações sobe a programação do equipamento podem ser adquiridas através do telefone (75) 3223-7033.

Assistência jurídica gratuita na Seprev

O Núcleo de Assistência Jurídica à Família, disponibilizado pelo Governo Municipal, foi transferido da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) para a Secretaria Municipal de Prevenção à Violência e Promoção dos Direitos Humanos (Seprev). O serviço está em funcionamento na rua Castro Alves, 1.038, centro, desde o mês de junho.

A proposta do núcleo é atender prioritariamente as pessoas de baixa renda com questões de família, a exemplo de pensão alimentícia, divórcio, investigação de paternidade e dissolução de união estável.

Segundo Ana Paula Rocha, advogada do núcleo, o setor atende cerca de 20 pessoas diariamente, sendo 4 audiências extrajudiciais e 16 atendimentos iniciais. “Essas audiências têm um efeito muito positivo porque as partes envolvidas chegam a um acordo. Dessa forma, a gente consegue evitar o litígio e o conflito judiciário”, pontua.

Se tratando de ação de alimentos, acrescenta a advogada, 60% dos processos chegam a um acordo de homologação. Mas caso a conciliação não seja possível, o advogado ingressa com a ação para que os pais efetuem os pagamentos devidos. O atendimento externo funciona de segunda-feira a quinta-feira, das 7h às 13h.

Uma das pessoas já atendidas pelo núcleo é a dona de casa Adriana Santos. “Estive aqui para resolver um problema de pensão alimentícia. Foi tudo resolvido, mas vim solicitar uma revisão porque o valor pago não é suficiente”, declara.

Também atendida pelo núcleo, a diarista Maria Aparecida de Jesus diz que o serviço é muito bom. “Já estive aqui outra vez e comecei a receber a pensão alimentícia, como reclamei, mas meu marido parou de pagar e voltei aqui para o pessoal resolver minha situação”, conta.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110049 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]