Greve dos funcionários da unidade BRIDGESTONE de Camaçari completa 21 dias

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Greve dos funcionários da unidade BRIDGESTONE de Camaçari completa 21 dias.
Greve dos funcionários da unidade BRIDGESTONE de Camaçari completa 21 dias.
Greve dos funcionários da unidade BRIDGESTONE de Camaçari completa 21 dias.
Greve dos funcionários da unidade BRIDGESTONE de Camaçari completa 21 dias.

De braços cruzados. Assim vão permanecer os trabalhadores da Bridgestone – empresa multinacional fabricante de pneus, localizada no Pólo Industrial de Camaçari – até que os patrões levem o processo negocial à sério. Por causa da intransigência da empresa, que tenta de todas as formas enfraquecer o Sindiborracha (entidade que representa a categoria), os operários paralisaram as atividades no último dia 30 de junho, por tempo indeterminado, e prometem só voltar quando as reivindicações forem atendidas e um acordo digno seja fechado.

A categoria reivindica 8% de reajuste salarial mais a inflação do período, adicional noturno de 40%, adicional de turno de 20%, cesta básica, prêmio de férias e desvinculação da PLR do acordo coletivo, entre outras questões. No entanto, a diretoria da fábrica ofereceu reajuste de 5%, sem ganho real e PLR (Participação nos Lucros e Resultados) rebaixada. Em outros estados os acordos coletivos foram fechados em 7%, com PLR média de R$ 9 mil. Outras categorias com data base também no primeiro semestre tiveram ganho real acima de 1,5%.

Além de endurecer na mesa de negociação, a empresa tem usado da violência para tentar minguar o movimento e forçar os empregados a trabalharem. Para dobrar os patrões, que só se preocupam em encher os bolsos, os trabalhadores têm de se manter unidos e continuar firmes na greve. É preciso garantir novas conquistas e não permitir que a empresa retire direitos adquiridos. Isso é inaceitável para os operários, verdadeiros responsáveis pela bilionária lucratividade da empresa.

O setor automobilístico vai muito bem, graças às políticas do governo federal para o desenvolvimento do país, a exemplo da redução do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados), que contribuiu para o aumento da venda de automóveis.

A categoria não luta apenas por salário digno. Mas, também pelo fim da exploração e do assédio moral no ambiente de trabalho. São profissionais sérios, mães e pais de família que merecem o respeito da Bridgestone e o apoio da sociedade baiana.

Assembleia

Está marcada para segunda-feira (23/07/2012) nova assembleia geral para avaliar o movimento e decidir os rumos da greve, que completa 21 dias nesta sexta-feira (20/07). O encontro está marcado para as 7h, na frente da fábrica, no Pólo de Camaçari.

 

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10107 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).