Deputado Carlos Geilson quer que concerssionária Bahia Norte preste explicações durante audiência pública na AL-BA

Para sair do bairro em que residem, os moradores do Jardim Campo Verde, em Salvador, precisam pagar pedágio.
Para sair do bairro em que residem, os moradores do Jardim Campo Verde, em Salvador, precisam pagar pedágio.
Para sair do bairro em que residem, os moradores do Jardim Campo Verde, em Salvador, precisam pagar pedágio.
Para sair do bairro em que residem, os moradores do Jardim Campo Verde, em Salvador, precisam pagar pedágio.

Para sair do bairro em que residem, os moradores do Jardim Campo Verde, em Salvador, precisam pagar pedágio. Desde 2011, a Associação de Moradores vem entrando em contato com a Concessionária Bahia Norte, responsável pela BA-526, e também com o governo para que consigam solucionar o problema da localidade. No entanto nada ainda foi resolvido.

A Barramar é responsável pela principal linha do local, que liga Jardim Campo Verde a Estação Mussurunga-Paralela. Entretanto, segundo o vice-presidente da Associação, Jorge Dias, a empresa, que hoje faz um trajeto alternativo desviando do pedágio, já avisou que deixará de rodar no local após o fechamento desse percurso, devido a elevação do custo com o pagamento do pedágio.

De acordo com Dias, os moradores entendem a posição da Barramar, porém estão apreensivos para encontrar uma solução para as pessoas que moram no bairro e não dispõe de transporte particular. Ainda conforme o vice-presidente, quem também passa pela mesma situação são os funcionários da Unidade de Saúde da Família Nova Esperança, da Rodovia Cia-Aeroporto, pois precisam pagar pedágio diariamente para se deslocar até o trabalho.

O deputado estadual Carlos Geilson (PTN) após ter conhecimento desse problema, deu entrada em um requerimento na Assembleia Legislativa convidando representantes da concessionária Bahia Norte para uma audiência pública para debater o assunto com a concessionária e buscar uma solução para a população da região. O requerimento será encaminhado para as Comissões de Defesa do Consumidor e Infraestrutura.

“Acredito que antes de assinar um contrato dessa magnitude os responsáveis precisam ficar atentos a todos os pontos e a todas as consequências que isso pode trazer”, afirmou o parlamentar.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9298 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).