Viva São Pedro

Nosso Senhor Jesus Cristo, ao iniciar a sua Missão de Mestre Espiritual da humanidade, passeia pela praia do Mar da Galileia e lá encontra Simão Pedro e seu irmão André pescando, dentro de um barquinho, quando os convida:
– Sigam-me e Eu vos farei pescadores de homens.
Assim, o pescador Simão, que também se chamava Pedro, se torna o primeiro dos amigos do Nosso Salvador, e líder entre os seus apóstolos.
Jesus o ensinou, o preparou, para que Pedro se tornasse o seu principal representante aqui na Terra, depois que Ele, Jesus, subisse aos céus.
— Que dizem os homens quem sou?
Perguntou Jesus aos seus apóstolos.
Pedro se adiantou e respondeu-Lhe:
— Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
Sendo o primeiro a testificar a Sua Divindade.
Jesus então proclama:
— Pedro, tu és pedra, e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja.
Desta maneira, o Senhor São Pedro é eleito o patrono maior de todas as igrejas cristãs pelo mundo inteiro.
Continua Jesus:
— Pedro, dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus.
Quando Jesus é preso e amarrado, o apóstolo Pedro, num momento de fraqueza, o negou, e Pedro chorou e sofreu amargamente por isso.
Porém, Pedro foi perdoado por Deus Jesus, orientado e preparado para receber o fogo sagrado do Divino Espírito Santo no Dia do Pentecostes.
Com os poderes que lhes foram concedidos, Pedro curou doentes, deu luz aos cegos e expulsou demônios — em nome de Deus Jesus e com a imposição das mãos.
Pedro divulgou a palavra do Cristo através dos primeiros evangelhos e instruiu seu amigo Paulo, São Paulo, a levar o Evangelho a todos os povos.
Quando em Roma — centro do poderoso Império Romano— os seus amigos o persuadiram a fugir disfarçadamente, para preservar a sua vida. Na fuga, Pedro encontra-se com o Nosso Senhor Jesus Cristo, que vinha caminhando na direção contrária, entrando em Roma.
— Senhor, para onde vais?
Ao que o Cristo respondeu:
— Vou para ser crucificado.
Pedro insiste:
— Senhor, vai ser crucificado novamente?
É quando o apóstolo entende a mensagem.
O Senhor sobe ao céu e Pedro regressa à cidade para ser sacrificado.
De volta a Roma, Pedro é preso e crucificado. Num gesto de humildade pede para não ser crucificado como o seu Senhor, por não se considerar merecedor. E é crucificado de cabeça para baixo.
No ato da crucificação Pedro compreende o mistério da Santa Cruz. O seu martírio significa que nos seus amigos o Cristo era de novo crucificado. O Nosso Salvador é morto mais uma vez pela humanidade pecadora.
Porém, Pedro compreende também que a sua participação no sofrimento do Cristo o conduz à salvação, seguindo os passos do Nosso Redentor.
Assim, Simão Pedro, o Cefas, louvado como o Senhor São Pedro, é o exemplo de quem renunciou a si mesmo para carregar a sua cruz e seguir o Nosso Senhor Jesus Cristo — para alcançar a salvação.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]