Vazio Sanitário da Soja na Bahia será antecipado em 15 dias para lavouras irrigadas

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
O Vazio Sanitário é uma determinação legal instituída pela Portaria de número 623 da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab).
O Vazio Sanitário é uma determinação legal instituída pela Portaria de número 623 da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab).
O Vazio Sanitário é uma determinação legal instituída pela Portaria de número 623 da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab).
O Vazio Sanitário é uma determinação legal instituída pela Portaria de número 623 da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab).

O Comitê  Estadual de Controle da Ferrugem Asiática da Soja acatou o pleito da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), pela antecipação em 15 dias do período de Vazio Sanitário para a cultura da soja no Estado, nas lavouras irrigadas. A análise e a conclusão pela mudança da data aconteceram em reunião na Bahia Farm Show, a maior feira de tecnologia agrícola e negócios do Norte-Nordeste, que começou na última terça-feira (29) e foi encerrada neste sábado (02/06/2012), em Luís Eduardo Magalhães.

O Vazio Sanitário é uma determinação legal instituída pela Portaria de número 623 da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), que estabelece um período de 60 dias no qual não se pode manter lavouras ou tigüera de soja no território baiano. A medida serve para quebrar o ciclo de algumas doenças e pragas da soja, em especial, da ferrugem asiática.

“A flexibilização da janela do vazio para o sojicultor irrigante viabiliza o cultivo da soja, e, na sequência, do algodão, em um período tecnicamente mais favorável para as duas culturas, otimizando máquinas, equipamentos, e o sistema de irrigação”, afirma o vice-presidente da Aiba, Sérgio Pitt.

O pedido dos produtores irrigantes foi acatado pelo Comitê, porém, desde que sejam observadas condicionantes, algumas das quais propostas pela própria Aiba, que visam dar segurança à defesa fitossanitária.

Todo o Irrigante interessado deverá fazer um cadastro prévio da área a ser cultivada com a soja no plantio antecipado, com todas as informações da área e do plano de manejo da cultura. Na sequência, firmará um Termo de Compromisso com a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão da Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), juntamente com o responsável técnico da propriedade, que deverá emitir uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) específica, ambos se comprometendo a tomar todas as providências recomendadas. Os termos precisarão da anuência da Aiba.

Para institucionalizar a mudança, a Adab vai publicar uma Portaria Complementar flexibilizando a antecipação do plantio somente para áreas irrigadas. Esta concessão será anual, e condicionada a uma nova avaliação do Comitê para possível prorrogação para anos futuros.

Paralelamente, os irrigantes interessados, através da Aiba, constituirão um fundo financeiro específico para custeio das despesas de Fiscalização, já que a Adab não tem orçamento programado para este fim. A Agência de Defesa cederá os profissionais necessários. Ainda, a Aiba, em parceria com a Adab, promoverá reuniões com os produtores interessados, para ajustes dos detalhes necessários para a conscientização e comprometimento dos produtores na defesa do sucesso  do pleito.

“As condicionantes, neste momento, foram imprescindíveis para aprovação do pedido. O importante é implantarmos a medida neste primeiro ano. Para os anos seguintes, ela só dependerá da adoção coletiva de medidas mais rigorosas e do controle da ferrugem. Entre as providências a serem tomadas, está a aplicação de fungicidas até o final do ciclo, para evitar que os primeiros focos da doença surjam em áreas limítrofes as lavouras de plantio antecipado”, diz o conselheiro técnico da Aiba, Celito Missio.

A Bahia Farm Show é uma realização da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), em parceria com a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Associação das Revendas de Máquinas e Implementos Agrícolas do Oeste da Bahia (Assomiba), Fundação Bahia e prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães.

Sobre Carlos Augusto 9653 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).