Senador Walter Pinheiro pede correção no rumo da CPI do esquema Cachoeira

Walter Pinheiro: “As pessoas estão tentando fazer disso uma espécie de fuga para evitar efetivamente o verdadeiro debate. O que nós queremos descobrir é como o crime organizado de Cachoeira se instalou na estrutura de Estado deste País”.
Walter Pinheiro: “As pessoas estão tentando fazer disso uma espécie de fuga para evitar efetivamente o verdadeiro debate. O que nós queremos descobrir é como o crime organizado de Cachoeira se instalou na estrutura de Estado deste País”.
Walter Pinheiro: “As pessoas estão tentando fazer disso uma espécie de fuga para evitar efetivamente o verdadeiro debate. O que nós queremos descobrir é como o crime organizado de Cachoeira se instalou na estrutura de Estado deste País”.
Walter Pinheiro: “As pessoas estão tentando fazer disso uma espécie de fuga para evitar efetivamente o verdadeiro debate. O que nós queremos descobrir é como o crime organizado de Cachoeira se instalou na estrutura de Estado deste País”.

Os rumos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista, que investiga a rede criminosa de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, inquietou o líder do PT, Walter Pinheiro (BA). Ao analisar os depoimentos dos governadores Agnelo Queiroz (PT-DF) e Marconi Perillo (PSDB-GO), o senador mostrou-se preocupado com o desvio de foco da apuração dos parlamentares.

“As pessoas estão tentando fazer disso uma espécie de fuga para evitar efetivamente o verdadeiro debate. O que nós queremos descobrir é como o crime organizado de Cachoeira se instalou na estrutura de Estado deste País”, ressaltou. Para Pinheiro, chegou a hora de repensar os trabalhos.

Na avaliação do senador, para que o trabalho da comissão seja bem-sucedido, é preciso focar nos dados e informações já disponíveis. “Esta CPMI nasceu diferente de todas as outras. Aqui os dados chegaram, os dados foram coletados antes. Então, vamos fazer o cruzamento dessas informações e fazer a verdadeira vinculação de quem é que permitiu que o crime organizado pudesse grassar”, afirmou.

O petista destacou que o ponto-central da investigação é descobrir como se organizava a rede de Cachoeira, como se espalhou, por que criou tantas empresas e em que ramos atuava, de que forma a estrutura do Estado foi utilizada e quais os contatos e caminhos de influência foram traçados.

 

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9750 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).