Salon do Chocolat vai mostrar ao mundo a qualidade do cacau da Bahia

Diego Badaró, coordenador do Salon du Chocolat da Bahia; engenheiro agrônomo Eduardo Salles e Durval Libânio, presidente da Câmara Setorial Nacional do Cacau e do Instituto Cabruca.
Diego Badaró, coordenador do Salon du Chocolat da Bahia; engenheiro agrônomo Eduardo Salles e Durval Libânio, presidente da Câmara Setorial Nacional do Cacau e do Instituto Cabruca.
Diego Badaró, coordenador do Salon du Chocolat da Bahia; engenheiro agrônomo Eduardo Salles e Durval Libânio, presidente da Câmara Setorial Nacional do Cacau e do Instituto Cabruca.
Diego Badaró, coordenador do Salon du Chocolat da Bahia; engenheiro agrônomo Eduardo Salles e Durval Libânio, presidente da Câmara Setorial Nacional do Cacau e do Instituto Cabruca.

A realização do Salon du Chocolat na Bahia, maior evento especializado em cacau e chocolate do mundo, será um momento histórico e um marco para a cacaicultura baiana. É um grandioso evento internacional, que acontece nas maiores cidades do mundo, e agora será realizado, pela primeira vez, em um país produtor de cacau. A declaração é do secretário estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, feita nesta quinta-feira (31/05/2012) durante o lançamento do Salon em São Paulo, evento que reuniu dezenas de jornalistas dos maiores veículos nacionais e convidados. “Teremos o mundo do chocolate reunido em um só lugar”, disse Salles.

Realizado no restaurante Mangiare Gastronomia, na Vila Leopoldina, o evento de lançamento foi organizado por Diego Badaró, coordenador do Salon du Chocolat da Bahia, e Durval Libânio, presidente da Câmara Setorial Nacional do Cacau e do Instituto Cabruca. O evento tem apoio e participação dos governos do estado e federal, através das secretarias da Agricultura, de Turismo e de Relações Internacionais, e da Ceplac.

O coordenador do evento, Diego Badaró, destacou a sustentabilidade da cultura do cacau, contribuindo para a preservação das matas atlântica e amazônica. De acordo com Durval Libânio, a cacauicultura tem grande importância econômica para o Estado, além do fator social, gerando empregos e renda e fixando o homem no campo.

O secretário Eduardo Salles afirmou que “vamos consolidar a tradicional região do cacau, no Sul da Bahia, e avançar em outras áreas, como o Oeste, Extremo Sul e Chapada Diamantina, que já estão plantando, podendo, em médio prazo, dobrar a nossa produção e até mesmo fazer com que a Bahia deixe de importar cacau”.

O secretário destacou a qualidade do cacau produzido na Bahia, já premiado, por duas vezes consecutivas no Salon du Chocolat de Paris como o melhor cacau do mundo. “Podemos também ter o melhor chocolate do mundo, e é isso que vamos mostrar aos principais chocolatiers internacionais que estarão na Bahia”, disse ele, questionando a afirmação de que a Bélgica e a Suiça têm o melhor chocolate, sedo países que não produzem nem uma amêndoa de cacau.

O Salon du Chocolat da Bahia acontece entre os dias 2 e 8 de julho deste ano. A programação envolve visitas técnicas a fazendas em Ilhéus, nos dias 2 e 3 de julho, quando eles conhecerão como o cacau baiano é produzido. Nos dias 4 e 5 será realizado o I Fórum Internacional do Cacau e Chocolate, em Salvador, no Palácio Rio Branco, tendo como tema o futuro do cacau.

Entre os dias 6 e 8 de julho, no Centro de Convenções da Bahia, o evento será aberto ao público, que poderá conhecer toda cadeia produtiva do cacau/chocolate, desde a produção de amêndoas até as principais chocolateiras mundiais, passando pelos melhores chocolatiers artesanais. O ingresso custará R$ 20,00.

A expectativa é que cerca de 15 mil pessoas visitem o Centro de Convenções da Bahia, em Salvador, e participem da programação, que inclui shows, desfiles, eventos e demonstrações gastronômicas, sempre tendo como estrela o chocolate.

Lançamento em Salvador 

O Salon du Chocolat da Bahia será lançado também em Salvador. No dia 5 de junho de 2012, na Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho, com a presença do governador Jaques Wagner. Neste encontro, os detalhes do evento serão anunciados para a imprensa baiana e convidados.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9612 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).