Rei da Espanha diz que brasileiros são bem-vindos ao país

O rei da Espanha, Juan Carlos I, e a presidenta Dilma Rousseff durante encontro no Palácio do Planalto.
O rei da Espanha, Juan Carlos I, e a presidenta Dilma Rousseff durante encontro no Palácio do Planalto.
O rei da Espanha, Juan Carlos I, dicursa durante almoço no Palácio Itamaraty.
O rei da Espanha, Juan Carlos I, dicursa durante almoço no Palácio Itamaraty.

Em visita ao Brasil, o rei da Espanha, Juan Carlos I, disse hoje (04/06/2012) que os brasileiros são “bem-vindos” ao país e que as autoridades locais estão trabalhando para facilitar a entrada desses turistas. A declaração foi feita antes de almoço com a presidenta Dilma Rousseff.

Brasileiros vem enfrentando dificuldades para entrar na Espanha. Há dois meses, o Brasil adotou medidas de reciprocidade que aumentaram o rigor para o ingresso de espanhóis no país. Só após a adoção dessas medidas, o governo espanhol concordou em negociar mudanças nas exigências para a entrada de brasileiros.

“Não quero terminar [o discurso] sem afirmar que os cidadãos brasileiros são muito bem-vindos à Espanha. Nosso país é um dos mais visitados por nossos amigos brasileiros. Sabemos que ocorreram alguns problemas nos últimos anos, mas as autoridades espanholas estão estabelecendo medidas efetivas e agilizando os trâmites para facilitar a entrada dos brasileiros”, disse Juan Carlos I.

Ao discursar antes do rei, a presidenta Dilma Rousseff citou o problema enfrentado por turistas brasileiros para entrar na Espanha. “Atribuo importância ao fato de que estamos avançando no encaminhamento de soluções reais para os nossos problemas, por exemplo, para os problemas enfrentados por viajantes brasileiros na Espanha.”

O rei iniciou o discurso em português e, diversas vezes, destacou a relação de amizade entre o Brasil e a Espanha e os laços históricos e culturais entre os dois países. Juan Carlos I também manifestou a disposição do país em receber brasileiros por meio do programa Ciência sem Fronteiras, que concede bolsas de estudos em universidades no exterior. Segundo ele, as empresas espanholas também estão dispostas a conceder estágios para os estudantes brasileiros.

A visita de hoje ao Brasil é a primeira viagem do rei ao exterior depois que ele colocou uma prótese no quadril, após um acidente durante caça na África. Por causa disso, Juan Carlos I precisa se apoiar em uma bengala, e não pôde subir a rampa do Palácio do Planalto como ocorre em visitas oficiais de chefes de Estado e de Governo ao Brasil. Ao visitar o Palácio Itamaraty, o rei entrou pela porta lateral para evitar a caminhada e as escadas do saguão principal do prédio.

Presidente Dilma Rousseff diz ao rei Juan Carlos I que superação da crise depende de ação coordenada dos países ricos

O rei da Espanha, Juan Carlos I, e a presidenta Dilma Rousseff durante encontro no Palácio do Planalto.
O rei da Espanha, Juan Carlos I, e a presidenta Dilma Rousseff durante encontro no Palácio do Planalto.

Após encontro, hoje (4), em Brasília, com o rei da Espanha, Juan Carlos I, a presidenta Dilma Rousseff disse que é preciso uma ação coordenada entre os grandes atores da economia global, e não apenas entre os emergentes, para superação da crise financeira internacional e a retomada do crescimento. Por sua vez, o monarca demonstrou esperança nas políticas de reforma do governo espanhol.

Em discurso antes do almoço com o rei Juan Carlos I, Dilma Rousseff disse que a retomada do crescimento em nível global não pode depender apenas de medidas adotadas pelos países emergentes. “Em um momento de crise, é fundamental insistir em uma ação coordenada e solidária entre todos os grandes atores da economia mundial, em especial uma ação coordenada e solidária entre os próprios países da Europa”, afirmou.

“Será essa a mensagem que o Brasil levará à Cúpula do G20, a afirmação da importância do crescimento econômico e, simultaneamente, a tomadas de medidas na área dos esforços macroeconômicos de estabilidade”, completou Dilma. A presidenta disse ainda acreditar que os esforços para superar a crise europeia serão “muito bem-sucedidos”.

O rei da Espanha classificou como “profunda” a crise econômica e financeira que, segundo ele, “afeta e golpeia todos os países da União Europeia”. Juan Carlos I disse que seu país tem apresentado empenho e determinação para superar a crise. “A economia espanhola tem fundamentos sólidos. Nossas contas com o exterior e nossas contas públicas se equilibram com rapidez. O governo está também fazendo reformas que não demorarão a dar frutos”, disse, durante o discurso.

A presidenta Dilma Rousseff defendeu, como medidas para enfrentar a crise, a criação de empregos, os esforços para acabar com a pobreza e ainda a promoção da justiça social. Ela também destacou a preparação brasileira para o caso de haver acirramento da crise internacional.

“O Brasil também está se preparando para ter, ante o acirramento das crises e de processos recessivos na economia internacional, uma política pró-cíclica de investimento. Nós temos imensas oportunidades, tanto na área de infraestrutura, transporte, energia e telecomunicação”, explicou.

Sobre Carlos Augusto 9462 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).