População de Feira de Santana tem mais carros que a de Salvador, proporcionalmente; situação requer planejamento, alerta vereador

Responsável pelo evento, o vereador Ângelo Almeida disse que o seminário serviu para enriquecer e ajudar a promover ações para “construir uma cidade mais organizada. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Responsável pelo evento, o vereador Ângelo Almeida disse que o seminário serviu para enriquecer e ajudar a promover ações para “construir uma cidade mais organizada. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Responsável pelo evento, o vereador Ângelo Almeida disse que o seminário serviu para enriquecer e ajudar a promover ações para “construir uma cidade mais organizada. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Responsável pelo evento, o vereador Ângelo Almeida disse que o seminário serviu para enriquecer e ajudar a promover ações para “construir uma cidade mais organizada. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

Para cada grupo de 100 pessoas, 29 tem carro, em Feira de Santana. Em Salvador, essa proporção é de 21 automóveis por grupo de 100 habitantes. Os dados, segundo o vereador Angelo Almeida, foram apresentados pelo arquiteto e urbanista Nelson Yamaga, por ocasião do II Seminário Estatuto das Cidades.

O encontro foi realizado na sexta-feira (01/06/2012) na Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). O objetivo foi discutir a mobilidade urbana e sugerir ações coletivas para contribuir com o desenvolvimento de Feira de Santana.

Responsável pelo evento, o vereador Ângelo Almeida disse que o seminário serviu para enriquecer e ajudar a promover ações para “construir uma cidade mais organizada”.

Ex-diretor do projeto de revitalização do centro de São Paulo, Yamaga afirmou que o número de carros em circulação na cidade dobrou, de 2003 a 2012. No caso das motocicletas houve um aumento equivalente a cinco vezes mais veículos em Feira de Santana, no mesmo período, de acordo com os dados do professor Yamaga.

Para Angelo Almeida, este fenômeno ocorre pela explosão do PIB local, nos últimos 10 anos saiu da casa de R$ 3 bilhões para R$ 6,5 bilhões. “Essa explosão fez com que o consumidor feirense aumentasse o seu poder aquisitivo”, disse.

“Quando o ex-presidente Lula implementou em seu governo  um programa de distribuição de renda, a Feira, que tinha uma base da economia voltada para o varejo e também para a indústria, experimenta uma fase de desenvolvimento, que propicia à população ter acesso ao carro próprio”, analisa o petista.

 

Essa expansão, segundo o vereador, impõe intervenções planejadas no trânsito local e um novo Plano Diretor. “Ou nós fazemos a intervenção agora ou estaremos na iminência do caos na cidade”.

 

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9605 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).