Parque Tecnológico da Bahia terá laboratório de pesquisa em energia solar. Convênio entre a SECTI e a COELBA foi assinado nesta quarta-feira, dia 20

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Um laboratório de pesquisa para desenvolver tecnologias de aproveitamento da radiação solar para a produção de energia elétrica será uma das novidades da segunda etapa do Parque Tecnológico da Bahia.
Um laboratório de pesquisa para desenvolver tecnologias de aproveitamento da radiação solar para a produção de energia elétrica será uma das novidades da segunda etapa do Parque Tecnológico da Bahia.
Um laboratório de pesquisa para desenvolver tecnologias de aproveitamento da radiação solar para a produção de energia elétrica será uma das novidades da segunda etapa do Parque Tecnológico da Bahia.
Um laboratório de pesquisa para desenvolver tecnologias de aproveitamento da radiação solar para a produção de energia elétrica será uma das novidades da segunda etapa do Parque Tecnológico da Bahia.

Um laboratório de pesquisa para desenvolver tecnologias de aproveitamento da radiação solar para a produção de energia elétrica será uma das novidades da segunda etapa do Parque Tecnológico da Bahia. A pesquisa será desenvolvida pela Coelba, que  formalizou a parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) nesta quarta-feira, 20, na sede da empresa, no bairro de Narandiba, onde foi assinado o convênio. Participaram do ato o secretário Paulo Câmera e o presidente da Coelba, Moisés Sales.

O Laboratório de Certificação de Componentes de Sistemas de Energia Solar Fotovoltaica irá ocupar 600m² nas instalações do Parque Tecnológico e a proposta da Coelba atende ao contrato de concessão com a Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, que prevê a aplicação de 0,3% da Receita Operacional Líquida das Distribuidoras de Energia Elétrica em Programa de Pesquisa e Desenvolvimento, além de fomentar a geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis.

O Presidente da Coelba, Moisés Sales, destacou a importância da instalação do laboratório. “A região Nordeste possui o maior potencial solar do país e isso pode significar a instalação de um grande número de painéis fotovoltaicos, o que reforça a necessidade de testar e verificar a qualidade dos equipamentos que serão instalados.”

A montagem do laboratório de certificação pela Coelba, foi um dos nove projetos estratégicos aprovados pela ANEEL, através da Chamada de Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento Estratégico 013/2011 – “Arranjos Técnicos e Comerciais para Inserção da Geração Solar Fotovoltaica na Matriz Energética Brasileira” , que foi lançado em agosto de 2011.

De acordo com o secretário Paulo Câmera esse projeto é inovador e pioneiro na região Nordeste. “É importante fomentar a tecnologia fotovoltaica na Bahia e estimular a produção de energia solar, pois acreditarmos que projetos de geração de energia renovável e não poluente são fundamentais para garantir o suprimento futuro e desenvolvimento sustentável do país” destacou o secretário Paulo Câmera.

Demonstrando a potência de uso da tecnologia solar, a Coelba inaugurou em abril o primeiro sistema solar fotovoltaico em uma arena esportiva da América Latina. Com a instalação das placas solares, o estádio Governador Roberto Santos (Pituaçu), tornou-se autossuficiente na produção de energia. A energia gerada com o projeto Pituaçu Solar, abastece as instalações do estádio e a produção excedente, lançada na rede da Coelba, vai para a sede da Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), proporcionando uma economia anual de aproximadamente R$120 mil ao Governo do Estado.

Sobre Carlos Augusto 9669 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).