Mercado de shopping centers cresce na Bahia. Segmento varejista gera mais de 31 mil empregos em Salvador

Com a inauguração do Shopping Bela Vista, anunciada para o início de julho, cresce em Salvador o número de empreendimentos do gênero.
Com a inauguração do Shopping Bela Vista, anunciada para o início de julho, cresce em Salvador o número de empreendimentos do gênero.
Com a inauguração do Shopping Bela Vista, anunciada para o início de julho, cresce em Salvador o número de empreendimentos do gênero.
Com a inauguração do Shopping Bela Vista, anunciada para o início de julho, cresce em Salvador o número de empreendimentos do gênero.

Com a inauguração do Shopping Bela Vista, anunciada para o início de julho, cresce em Salvador o número de empreendimentos do gênero. Serão, ao todo, nove shopping centers que oferecem muito mais que um espaço de compras e entretenimento à população, mas uma excelente oportunidade para investidores, empresários, além de gerar emprego e renda. A estimativa é movimentar R$ 60 milhões, ao mês, com uma circulação diária em torno de 60 mil pessoas. Entre as fases de construção, operação e ampliação, a expectativa é criar, aproximadamente, 4,8 mil empregos diretos e indiretos. O evento de inauguração, para convidados, está marcado para o dia 3 de julho deste ano, com abertura ao público no dia seguinte.

A escolha dos investidores pela capital baiana não foi por acaso. A JHSF, uma das empresas líderes no setor imobiliário no Brasil e responsável pelo novo empreendimento realizou uma pesquisa, na qual identificou em Salvador um vetor de crescimento imobiliário, que comporta um empreendimento de uso misto em larga escala como o Horto Bela Vista, bairro ao qual o shopping é integrado. Além da viabilidade econômica, a estrutura viária no entorno também teve que ser planejada, o que torna o trajeto mais tranquilo para os clientes do shopping e futuros moradores. As vias alternativas contaram com um investimento de aproximadamente R$ 45 milhões. “A cidade de Salvador está em constante crescimento, investiremos e estaremos sempre atentos às novidades e diferenciais para atender a toda família”, declarou o diretor executivo de shoppings da JHSF, Robert Harley.

Segundo o superintendente do Shopping Bela Vista, Fabiano Strelow, o grande diferencial do maior centro de compras planejado da Bahia está, não só na concepção do projeto, mas também no apoio aos lojistas, sobretudo às lojas satélites, que necessitam de conhecimento para empreender. “É fato afirmar que o shopping  Bela Vista é um caminho de sucesso para lojistas que buscam expandir seus negócios. Nosso trabalho está iniciando e com força. Haverá uma excelente circulação de pessoas, mas temos que ressaltar que o risco de mercado existe em qualquer segmento, e para isso, estaremos ombro a ombro com os lojistas para contribuir com suas operações”, declarou Strelow, que traz em seu currículo um extenso background em gestão de multinacionais de varejo de grande porte, ao longo dos últimos 18 anos.

“Nosso maior incentivo aos lojistas será a satisfação deles próprios. Queremos uma relação de parceria, e vamos incentivar programas de treinamento e desenvolvimento à suas equipes; queremos também dividir, ouvir e debater com os lojistas, sobre idéias e ações de varejo para o shopping”.

A administração do mais novo empreendimento está trabalhando a médio e longo prazo, e já tem desenhadas e previstas as expansões do shopping, antes mesmo da inauguração, é o que garante o superintendente. “Temos convicção de buscar a liderança de mercado através do reconhecimento do cliente”, prospectou.

Sobre a possibilidade de apoio a projetos culturais, o superintendente do Shopping Bela Vista, Fabiano Strelow declara, “Estamos abertos e atentos à vida cultural de Salvador. Vamos sempre avaliar todo e qualquer projeto nesta área. Seja como parceiro, patrocinador direto ou mesmo cedendo nosso espaço à manifestações culturais que divulguem a cultura Baiana”, antecipou.

Na área de eventos relacionados à moda, a expertise da JHSF no mercado paulista será aproveitada e fará a diferença. “Podemos esperar excelentes eventos, com bom gosto e qualidade diferenciada”, garantiu Fabiano Strelow.

Potencial 

Segundo o coordenador estadual da Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE), Edson Piaggio, o segmento é responsável, na Bahia, por um faturamento anual de R$ 4,5 bilhões, o que representa 3,22% do PIB do estado. Dados da Abrasce, revelam que cerca de 350 mil pessoas circulam diariamente nos shopping centers da capital baiana e que 31 mil empregos diretos são gerados com o comércio varejista.

Muitos são os atrativos que tornam os shoppings um lugar privilegiado para compras, lazer e negócios. Nesses “templos de consumo”, é possível encontrar tudo num único espaço, aliado à ideia de modernidade e progresso. Na Bahia, o mercado é altamente competitivo e em expansão. São, ao todo, 11 shopping centers em operação, destes, 9 estão em Salvador.

Além do investimento da iniciativa privada, fatores como crédito e prazos facilitados, o aumento dos empregos formais e a ascensão das classes B e C figuram entre os acontecimentos que ajudaram a impulsionar o mercado nos últimos anos.

As novidades do segmento para agregar valor, driblar a concorrência e, com isso, elevar o número de consumidores são os novos conceitos que conjugam o espaço de compras, trabalho e convivência. O Shopping Bela Vista adota o conceito inovador de centro de compras, integrado ao mais novo bairro planejado da capital baiana, o Horto Bela Vista, com 19 torres residenciais, três torres comerciais, além de hotel e escola. O empreendimento já nasce como um dos três maiores da Bahia.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9294 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).