Ex-deputado Emiliano José declara sobre as eleições 2012 na capital baiana: “Temos um projeto político que resgatará a autoestima de Salvador”

Emiliano José (PT/BA) reafirmou a força da candidatura do deputado federal Nelson Pelegrino, na disputa pela prefeitura de Salvador. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Emiliano José (PT/BA) reafirmou a força da candidatura do deputado federal Nelson Pelegrino, na disputa pela prefeitura de Salvador. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Emiliano José (PT-BA) reafirmou a força da candidatura do deputado federal Nelson Pelegrino, na disputa pela prefeitura de Salvador. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Emiliano José (PT-BA) reafirmou a força da candidatura do deputado federal Nelson Pelegrino, na disputa pela prefeitura de Salvador. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

Durante entrevista a um programa de rádio nesta terça-feira (05/06/2012), o suplente de deputado federal Emiliano José (PT-BA) reafirmou a força da candidatura do deputado federal Nelson Pelegrino, na disputa pela prefeitura de Salvador. Segundo Emiliano José, o cenário político da capital baiana vai se definindo e, aos poucos, as candidaturas e alianças e coligações serão consolidadas. “Nós, do PT, temos absoluta confiança na candidatura do companheiro Pelegrino que, com certeza, saberá resolver alguns dos principais problemas da cidade, como a mobilidade urbana, a qualidade de vida da sua população. Temos um projeto político que resgatará a autoestima de Salvador”, destacou o petista.

Durante a entrevista, Emiliano falou ainda sobre o Marco Regulatório das Comunicações, criticando a sublocação dos espectros de concessões públicas feitas às emissoras e reafirmou o papel democrático da legislação proposta pelo governo. “Volto a dizer que não estamos querendo, de forma alguma, censurar a mídia. O que queremos é que mais atores tenham voz e vez, defendemos o direito de, por exemplo, quilombolas, indígenas, sindicatos, também terem suas ‘mídias’, a horizontalização das propriedades”.
O jornalista aproveitou também para chamar atenção do conteúdo produzido atualmente pelos programas baianos.  “Inadmissível que tenhamos programas em que impera o desrespeito aos direitos humanos, estes programas que considero policialescos. O preso tem de ser julgado e, se for o caso, condenado pela lei brasileira e não pela mídia”, sentenciou.

Sobre a Comissão Nacional da Verdade, Emiliano voltou a defender a instituição do grupo que vai investigar as graves violações cometidas durante o período da ditadura militar no Brasil.  “Teremos dois anos para mostrar ao país o que foram aqueles anos de tortura, onde literalmente ‘filho chorava e mãe não ouvia’. Vamos apresentar este outro lado da história e a verdade virá à tona. Tenho certeza que o Brasil saberá o que fazer com esta verdade posta à mesa”. O jornalista aproveitou ainda para falar sobre as gravações do documentário inspirado no livro As asas invisíveis de padre Renzo, de sua autoria. O filme, que resgata a história de Renzo Rossi, um padre que viveu no Brasil e dedicou-se a ajudar os presos políticos e suas famílias durante a ditadura, deve chegar à TV brasileira no primeiro semestre de 2013.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9153 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).