Estudantes de Salvador emitem nota repudiando aumento na tarifa de transporte público

Segundo a entidade, o problema no transporte público é crônico e sempre foi tratado com descaso. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Segundo a entidade, o problema no transporte público é crônico e sempre foi tratado com descaso. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

A Associação de Grêmios e Estudantes de Salvador (AGES) emitiu nota em repúdio ao aumento da tarifa do transporte público de Salvador.  Segundo a entidade, o problema no transporte público é crônico e sempre foi tratado com descaso.

Confira  íntegra da nota

A Associação de Grêmios e Estudantes de Salvador – AGES entidade representativa dos estudantes secundarista do nível fundamental, médio e técnico da cidade do Salvador vem por meio desta nota expressar a indignação do movimento estudantil soteropolitano para com mais este abusivo aumento da tarifa do transporte público anunciado pela prefeitura.

O problema do transporte público da nossa cidade é histórico, pois, a questão sempre foi tratada com descaso pelo poder público. Desde o ano de 1994 o aumento da tarifa é progressivo, assim também como a falta de qualidade do sistema. A população da nossa cidade é a mais atingida com todas as deficiências dos transportes públicos, com veículos sucateados, frota ineficiente, trânsito caótico, ônibus superlotados e com péssimas condições de uso, estas são apenas algumas das graves deficiências deste sistema que não tem sequer licitação pública e o grande empresariado, quando bem entende, pressionar o Prefeito João Henrique e aumenta a tarifa, com justificativas vagas, tentando argumentar o aumento para a população com termos técnicos baseado numa suposta planilha de custos, que a sociedade soteropolitana nunca viu.

Compreendemos que a questão do transporte público da cidade do Salvador deve ser questão de prioridade de Estado, não apenas de Governos. Desde a desativação do Conselho Municipal de Transportes em 2006 pelo prefeito João Henrique Barradas Carneiro, o sistema passou a ser gerido pelo Sindicato dos Empresários que só pensam no aumento exorbitante de seus lucros.

Portanto, diante do exposto, exigimos do prefeito João Henrique o congelamento imediato no valor da antiga tarifa de R$2,50 pelos próximos dois anos, além da realização e conclusão imediata de uma licitação pública para o sistema de transporte da nossa cidade. Exigimos também a reativação imediata do conselho municipal de transportes com participação da sociedade civil organizada, aprovação do PL 28/2009 em tramitação na Câmara Municipal que institui a facultatividade do pagamento antecipado do Salvador Card e a extensão da meia passagem estudantil para os estudantes de cursos técnicos. Estas são algumas das diversas reinvidicações que pautamos.

Nos próximos dias o movimento estudantil soteropolitano ocupará as ruas de Salvador para protestar contra mais este abusivo aumento da tarifa e pela qualidade do transporte público da nossa cidade.

Dizemos não ao aumento da tarifa!

Saudações Estudantis,

Associação de Grêmios e Estudantes de Salvador – AGES

Salvador, 1º de junho de 2012.

Sobre Carlos Augusto 9707 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).