Durante Conversa com Governador, Jaques Wagner comenta sobre greve dos professores e alerta para prejuízos irreparáveis junto à comunidade

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Edmundo Filho entrevista Jaques Wagner, que aborda os prejuízos causados pela greve dos professores.
Edmundo Filho entrevista Jaques Wagner, que aborda os prejuízos causados pela greve dos professores.

Um novo apelo para que os professores da rede estadual de ensino retomem suas atividades é feito pelo governador Jaques Wagner no programa de rádio desta terça-feira (05/06/20102). “Vamos dar a tranquilidade a pais e alunos, voltando à sala de aula. Espero que a gente possa ter a normalização imediata para que os estudantes não sofram ainda mais”.

No Conversa com o Governador ele reafirma o reajuste que resultará na melhoria salarial para os docentes de 22 a 26%, incluindo os 6,5% já concedidos este ano. Wagner explica que isso representa a antecipação – do que seria concedido em novembro de 2013 e novembro de 2014 – para novembro de 2012 e abril de 2013, “agora na forma de promoção dentro da carreira dos professores”.

Ele diz que sua maior preocupação é com o sofrimento dos pais de alunos e estudantes. Em razão disso, na tentativa de evitar a greve, “apresentei uma proposta, que não foi aceita. Depois de 55 dias, essa proposta está recolocada para apreciação do sindicato e dos professores. Quero deixar bem claro que estou adiantando o que estava previsto para novembro de 2013 e novembro de 2014”, reforça.

Reposição dos dias parados

De acordo com o governador, com a nova proposta e mais os 6,5% concedidos a todo o funcionalismo, em 1º de janeiro deste ano, no mês de abril de 2013, os docentes vão acumular ganho salarial entre 22 e 26%. Wagner destaca, principalmente, a ansiedade dos estudantes do 3º ano do ensino médio, que farão vestibular e não podem ser prejudicados. “Esse é mais um esforço no sentido de que a gente retorne, imediatamente, à sala de aula e programe a reposição dos dias parados, para que os nossos alunos não tenham o ano letivo perdido”.

Jaques Wagner enfatiza que, todos os anos, o Governo da Bahia concede reajuste. “Desde janeiro de 2007, quando assumi o governo, são 71,5% de reajuste geral para os professores, o que corresponde ao ganho de 30% acima da inflação. Por isso, o meu apelo, o meu esforço, mas tem uma hora que a gente precisa bater o martelo, fazer a negociação, ter o acordo para não sacrificar a nossa juventude com a perda de aulas”.

Adutora do Algodão

Outro assunto de destaque no programa é a visita às obras da Adutora do Algodão (região de Guanambi), na última sexta-feira, que o governador fez em companhia do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, quando autorizaram a extensão do sistema até o município de Caetité.

A água será captada no Rio São Francisco, trecho do município de Malhada, e a previsão é que até setembro deste ano a obra seja entregue à população. “Fomos comemorar, em Caetité, a liberação de mais R$ 42 milhões, que vão corresponder à extensão da adutora”. Ele fala também de outras obras estruturantes para levar água à população como as adutoras do Feijão, de Pedras Altas e de Ponto Novo.

Lei do Meio Ambiente

O governador Jaques Wagner fala ainda do decreto que assina nesta terça-feira (Dia do Meio Ambiente) sobre mudanças na Lei Estadual do Meio Ambiente. Segundo ele, o objetivo é dar mais agilidade ao processo de licenciamento, separando o que é a concessão de licença de um empreendimento de baixo impacto do licenciamento para projetos de médio e alto impacto. Por último, ele cita a Rio+20, evento que reunirá no Rio de Janeiro mais de 100 presidentes de vários países para refletirem sobre a proteção e a preservação do meio-ambiente.

[audio:http://cdn.jornalgrandebahia.com.br/2012/06/Conversa-com-o-Governador-de-5-de-junho-de-2012.mp3|titles=Conversa com o Governador de 5 de junho de 2012.]
Edmundo Filho entrevista Jaques Wagner, que aborda os prejuízos causados pela greve dos professores.
Edmundo Filho entrevista Jaques Wagner, que aborda os prejuízos causados pela greve dos professores.
Sobre Carlos Augusto 9611 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).